Faltando 100 dias para Tóquio, atletas brasileiros controlam expectativa e mantêm foco na preparação - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Faltando 100 dias para Tóquio, atletas brasileiros controlam expectativa e mantêm foco na preparação

Compartilhe


Nesta quarta-feira (14), faltam exatamente 100 dias para a abertura dos Jogos Olímpicos em Tóquio. A contagem regressiva para o maior evento esportivo do planeta segue a todo vapor e, com ela, cresce a ansiedade para acompanhar os melhores esportistas do mundo. Entre os atletas brasileiros, isso não é diferente. Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, e Milena Titoneli, do taekwondo, já classificadas para os Jogos, controlam a expectativa com foco total nesta reta final de preparação.

“Tenho cumprido à risca o planejamento de minha equipe técnica. Cada dia, cada semana, cada mês está sendo de evolução para chegarmos em Tóquio no melhor ponto de performance possível”, explica Ana Marcela, eleita seis vezes pela Fina (Federação Internacional de Natação) como a melhor nadadora de águas abertas do mundo. A atleta baiana quer aproveitar ao máximo os dias que faltam até sua participação em Tóquio. “Todos os detalhes estão sendo vistos e aprimorados com equilíbrio. O foco é total nesta reta final”, assegura a maratonista aquática.

Estreante em Jogos Olímpicos, Milena Titoneli tem expectativas altas para Tóquio. “Quero muito chegar nestes Jogos e fazer história, tanto para o meu esporte como para o meu país. É um sonho cada vez mais próximo de se tornar realidade e acredito que posso contribuir para a história do taekwondo brasileiro”, diz a lutadora paulista. Ela tem a receita para passar estes próximos 100 dias. “Será um período de muito foco e dedicação. É preciso manter o treinamento no mais alto nível possível, mas sempre nos cuidando para seguirmos a programação”, afirma Milena.

As duas atletas do também comentaram sobre as inéditas condições destes Jogos Olímpicos, por causa da pandemia da Covid-19. “Será muito diferente do que sempre imaginei. Eu sonhava muito em ter minha família presente no Japão, mas infelizmente não será possível. Porém, acredito que a energia de uma Olimpíada continuará presente e será diferente de tudo que já vivenciei”, diz Milena Titoneli.

“Não penso em dificuldades específicas. Será uma prova duríssima, onde vários fatores vão contar: a preparação em curso, a estratégia de prova, a observação nas adversárias. Vamos com tudo em busca de uma medalha olímpica!”, avisa Ana Marcela Cunha.

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário