Caio Bonfim bate recorde recorde sul-americano e Matheus Correa faz índice olímpico na marcha atlética 20km - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Caio Bonfim bate recorde recorde sul-americano e Matheus Correa faz índice olímpico na marcha atlética 20km

Compartilhe


A terceira etapa do Torneio Cidade de Bragança Paulista foi marcada por excelentes marcas na marcha atlética dos 20km, disputada na manhã deste domingo (25). Caio Bonfim, já classificado para Tóquio-2020, ratificou seu índice e, de quebra, com o tempo de 1h20m13s68, estabeleceu o novo recorde sul-americano, superando a marca do equatoriano Andres Chocho, que durava desde 2011. 

Embalado pelo ritmo forte do vencedor, Matheus Correa, de 21 anos, marcou 1h20m49s13 e superou o índice Olímpico (1h21m). Esse tempo também é recorde brasileiro e sul-americano sub-23. Lucas Mazzo ficou em terceiro 1h24min15s95. A prova, que foi disputada na pista de atletismo da CNDA, teve um importante fator que beneficiou boas marcas, que foram as condições climáticas amenas do horário de largada, às 07h da manhã.

“O recorde brasileiro de pista era meu. Temos poucas provas de pista e esta foi uma oportunidade de ouro! Eu fiz 1h20m58s em 2011, eu tinha 20 aninhos e agora, dez anos depois com 30 anos, é bom mostrar que continuo bem. Estou muito feliz. Quando eu fiz esse recorde brasileiro, ele também foi sul-americano, mas o Chocho marido da Erica Sena e um ícone da marcha, chegou na frente e ficou com ele. E hoje poder fazer essa marca e entrar para a história da marcha sul-americana me deixa muito feliz”, disse Caio logo após a prova.

O marchador exaltou a competição, pois devido às implicações da pandemia, vária provas importantes foram canceladas, como as de Portugal e da República Tcheca. Ele queria aproveitar todas as oportunidades para competir antes da Copa Pan-Americana de marcha atlética, que irá ser disputada entre os dias 8 e 9 de maio.

Caio já tem viagem programada para segunda-feira (26) para Guayaquil (EQU), com os demais integrantes da seleção que disputarão a competição. Os atletas da delegação brasileira ficarão numa quarentena de dez dias por causa da pandemia da Covid-19 por exigência do governo local.

Matheus Correa se mostrou surpreso com o índice, e disse que a intenção antes da competição era melhorar sua classificação no ranking mundial. “Mas arrisquei, fui junto com o Caio, quando chegamos nos 10.000m, vi que se eu passasse para 1min36s por volta no restante da prova daria o índice. Ficou difícil no final, mas vi que estava perto, que era possível e fui para cima”, disse ele.

No naipe feminino, Gabriela Muniz, foi a vencedora com 1h36min02s6. Viviane Lyra ficou em segundo com 1h35min29s8 e Elianay Santana Barbosa fechou o pódio com 1h39min45s. Gabriela bateu o recorde sul-americano sub-23 superando a marca de Cisiane Dutra Lopes, que havia marcado 1h35min49s6 feito em Buenos Aires no ano de 2011. Ela também superou o recorde brasileiro dos 10km com 47min33s5, e ainda ratificou o índice para o Mundial Sub-20 de Nairóbi (KEN).

No lançamento de disco, Andressa de Morais, já com marca para Tóquio venceu com 61,61m, seguida por Izabela da Silva, com 60,63m, e de Lidiane Milena Cansian, com 54,39m.


Foto: Wagner Carmo/ CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário