Seleção francesa de judô se retira do Grand Slam de Tbilisi após casos de Covid-19 na equipe - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Seleção francesa de judô se retira do Grand Slam de Tbilisi após casos de Covid-19 na equipe

Compartilhe


Marie Eve Gahie no Masters de Doha

A seleção francesa de judô, uma das mais fortes do mundo, se retirou do Grand Slam de Tbilisi, na Geórgia, que começa nesta sexta (26). O motivo foi mais um teste positivo de Covid-19 na seleção masculina, que antes já havia detectado dois casos na terça-feira (23). 

Em comunicado, a Federação Francesa de Judô (FFJ) anunciou que os três atletas positivo participaram do camping organizado pela Federação Georgiana de Judô antes da disputa do Grand Slam e que se encontraram em isolamento por 10 dias. No entanto, não revelaram os nomes dos atletas infectados.


A seleção feminina não teve testes positivos, mas optaram, por medida de segurança, retirar as atletas da disputa e retornarem à França. Nomes como Madeleine Malonga (-70kg), Romane Dicko (+78kg), Sarah Cysique (-57kg) e Marie-Ève Gahié (-70kg) estavam na Geórgia convocadas para a competição.


"Essa decisão foi tomada como um princípio de precaução e com o objetivo de proteger a saúde dos atletas e do staff algumas semanas antes dos grandes prazos internacionais. Quando toda a delegação retornar ao território francês, um protocolo de monitoramento de saúde reforçado será implementado pelo serviço médico da Federação Francesa de Judô", dizia o comunicado.


O prazo que se referem no comunicado são as convocações oficiais que ocorreriam no judô francês no próximo dia 30. Porém, a Federação Francesa já anunciou que adiou o anúncio das seleções para o Campeonato Europeu (masculino e feminino), Campeonato Mundial (feminino) e Olimpíadas (feminino), ainda sem data programada para a convocação.


O Grand Slam de Tbilisi tem mais de 450 atletas de 80 países registrados. O Brasil tem uma delegação de 15 atletas.


Foto em destaque: Marina Mayorova/IJF

Nenhum comentário:

Postar um comentário