Minas supera Sesi Vôlei Bauru no tie-break e chega à final da Superliga Feminina - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Minas supera Sesi Vôlei Bauru no tie-break e chega à final da Superliga Feminina

Compartilhe

Em duelo emocionante, o jogo 2 entre Sesi Vôlei Bauru e Itambé/Minas foi digno de uma semifinal. Em confronto decidido ponto a ponto, o time mineiro forçou o quinto set e acabou levando a melhor sobre o rival paulista, chegando novamente à final da Superliga. Após início inconstante e problemas na recepção, a equipe mineira se recuperou com uma bela atuação das centrais e da líbero Leia, vencendo a disputa por 3 sets a 2 (17-25, 25-22, 17-25, 25-17 e 15-8).

Com 14 pontos, a central Thaisa venceu a votação popular e levou para casa o troféu Viva Vôlei, que premia a melhor jogadora da partida. Do lado bauruense, o destaque ficou por conta da dupla Tiffany e Rahimova, que marcaram 24 e 22 pontos cada, além da levantadora Dani Lins.

Com a vitória apertada, o time mineiro venceu a série melhor-de-três por 2 a 0 e irá enfrentar o rival Dentil/Praia Clube na final da Superliga 20/21. Mais cedo, o Praia também fechou a série com duas vitórias, vencendo o Osasco/São Cristóvão Saúde por 3 sets a 0 (25 x 12; 25 x 18; 25 x 22). Esta será a segunda vez consecutiva em que as duas equipes de Minas Gerais se enfrentam na final do campeonato nacional. O primeiro jogo da decisão é na próxima sexta-feira (02), às 21h30.

Times iniciais


Itambé/Minas: Macris, Carol Gattaz, Pri Daroit, Dani Cuttino, Thaisa, Megan e Leia (L). Entraram: Kasiely, Pri Heldes e Camila Mesquita. Técnico: Nicola Negro

Sesi Vôlei Bauru: Dani Lins, Adenízia, Tiffany, Polina Rahimova, Mara, Suelle e Brenda Castillo (L). Entraram: Fê Ísis, Vanessa Janke, Júlia, Carol Leite, Pâmela. Técnico: Rubinho.


O Jogo


A equipe do Sesi/Bauru começou com estilo de jogo agressivo, executando bem em todos os fundamentos. A ponteira Tiffany rapidamente se destacou como o nome do primeiro set, marcando 7 dos 16 primeiros pontos do time paulista e terminando a primeira parcial como a maior pontuadora, tendo marcado 10 pontos. A levantadora Dani Lins distribuiu bastante a bola, facilitando o trabalho das atacantes. Já do lado mineiro, a levantadora Macris teve início de jogo inconstante, principalmente devido aos problemas de recepção do time minastenista. Superior, a equipe de Bauru fechou o primeiro set com placar de 25 x 17.

O segundo set começou mais disputado, e o saque agressivo da equipe paulista continuou dificultando a recepção do Itambé/Minas, que teve dificuldade de colocar a bola nas mãos da levantadora. Se de um lado, Rahimova e Tiffany tiveram destaque, do lado do Minas, as centrais Carol Gattaz e Thaisa chamaram a responsabilidade, pontuando bem no ataque e no bloqueio. Em set disputadíssimo, a equipe comandada por Nicola Negro conseguiu se descolar no placar na reta final, fechando a parcial por 25 x 22. O destaque da segunda etapa ficou por conta da central Thaisa, que pontuou 9 vezes.

Assim como no primeiro set, o time bauruense entrou acelerado no terceiro, abrindo 7 pontos de vantagem, pelas mãos da levantadora campeã olímpica Dani Lins e pela decisividade das atacantes. Já as atacantes do Minas, especialmente as opostas Dani Cuttino e Camila Mesquita, pecaram na execução, entregando vários pontos em erros para o adversário.

Com tudo dando certo no lado paulista e uma sequência de erros do time mineiro, a reação do Minas veio tarde demais, e o Sesi fechou o terceiro set com placar elástico de 25 x 17, repetindo as parciais do primeiro período.

Em um claro exemplo da volatilidade dessa semifinal, o Minas começou o quarto set muito mais efetivo, abrindo sua maior vantagem no jogo, de 6 pontos. Ainda no início da parcial, Tiffany e Carol Gattaz protagonizaram uma cena que assustou os torcedores de ambos os lados, quando se chocaram e precisaram ser atendidas pela equipe médica. Para os fãs respirarem aliviados, ambas se levantaram e voltaram para o jogo, tendo sido, de fato, apenas um susto.

Com uma performance bem abaixo do comum nos três primeiros sets, a americana Cuttino começou a quarta etapa renovada, virando bolas difíceis e abrindo mais possibilidades para a levantadora Macris, que aproveitou bem as oportunidades. Com Tiffany no banco sofrendo de dores musculares, o poder ofensivo do Bauru teve uma queda considerável, abrindo espaço para bons ataques do lado mineiro, com Kasiely tendo boa performance ofensiva e também no fundo de quadra. O Itambé/Minas cedeu apenas um ponto em erros contra cinco do Sesi e devolveu, mais uma vez, o placar de 25x17, forçando o tie-break.

O quinto set começou em clima de tudo ou nada, disputadíssimo, com rallys emocionantes e placar apertado, digno de jogo 2 de semifinal. Destaque para a recepção do time mineiro, que foi um dos principais problemas nos primeiros sets, mas voltou a funcionar no início do set decisivo. Do lado do Sesi, o saque potente e poder de decisão da central Adenízia mantiveram o jogo disputado, sem permitir que o Minas se descolasse no placar.

Porém, após uma série de erros do adversário, o time belorizontino conseguiu abrir 7 pontos de vantagem, fechando o quinto set com um belo ace de Pri Heldes. Com a vitória no quinto set, o Itambé/Minas vence o segundo jogo da semifinal e vai disputar a segunda final consecutiva contra o rival Praia Clube.

Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário