Troféu Brasil de Natação começa nesta quarta e marca retorno de competições presenciais




O Troféu Brasil de Natação começa na quarta-feira (9), no Club de Regatas Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. A competição tem 289 atletas inscritos e entre eles, Bruno Fratus, medalha de prata na última edição do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, realizado em Gwangju, na Coréia do Sul. O evento marca o retorno das competições nacionais de forma presencial em 2020. 


Originalmente marcado para abril deste ano, o torneio precisou ter suas datas e formatos alterados por conta da pandemia. A competição teve limite de inscritos e terá duros protocolos de prevenção à proliferação da Covid-19. A CBDA elaborou um rigoroso protocolo para evitar ao máximo a contaminação de atletas, treinadores e todos os envolvidos na competição.


“Estamos muito felizes com o retorno das competições presenciais, depois de tanto tempo com restrições em razão da COVID-19. A expectativa é muito boa. Os atletas conseguiram voltar aos treinos há alguns meses e estão ansiosos para competir. Com certeza eles estão muito motivados para o Troféu Brasil”, disse o diretor de Natação, Eduardo Fischer.


O Troféu Brasil será seletiva para a formação da seleção brasileira que irá ao Campeonato Sul-Americano de Buenos Aires, adiado para 2021. A seleção será formada por atletas com menos de 20 anos, com o objetivo de dar experiência internacional para os jovens nadadores do Brasil.


“Acredito que teremos bons tempos no Troféu Brasil. Alguns atletas já competiram esse ano, outros ainda não tiveram essa oportunidade. A competição é válida para o Sul-Americano, então gera uma expectativa ainda maior para os atletas mais jovens. Isso tudo traz o clima de competição que é o que todos nós gostamos”, completou.


Por conta da pandemia, a CBDA modificou o regulamento da formação da seleção e os atletas que não se sentirem seguros a viajar ao Rio de Janeiro, podem fazer tomadas de tempos locais, chanceladas pelas Federações Estaduais. Estes tempos serão registrados no histórico do atleta, valerão para ranking e o atleta poderá participar da seleção brasileira.


Foto: Alexandre Castello Branco/COB

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem