Brasileiros buscam índice olímpico para Tóquio na Maratona de Valência




A Maratona de Valência, na Espanha, é a grande oportunidade de quatro atletas brasileiros de tentar ainda este ano os índices olímpicos exigidos pela World Athletics para os Jogos de Tóquio, em 2021. A prova de 42.195 m será disputada no próximo domingo (6) e seguirá restrições e medidas de segurança, impostas pela pandemia global Covid-19.



O grupo é formado por Ederson Pereira, Adriana Aparecida da Silva, Valdilene dos Santos Silva e Andreia Hessel, todos atletas do Pinheiros, que serão acompanhados pelo treinador Claudio Roberto de Castilho. Eles buscam superar as marcas de 2:11:30 no masculino e 2:29:30 no feminino.



Até agora, dois atletas estão qualificados, ambos no masculino: Paulo Roberto de Almeida Paula e Daniel Chaves. O Brasil pode ter até três representantes em cada categoria.



“Está tudo certo para viajar. Todos fizeram o exame PCR, exigido para entrar na Espanha a convite dos organizadores. Nossa perspectiva é boa. As meninas voltaram no fim de semana da Colômbia, onde fizeram preparação em altitude. Vamos seguir protocolos semelhantes aos do Mundial de Meia Maratona da Polônia, realizado em outubro”, comentou Claudio Castilho.



O foco nestes últimos dias tem sido a recuperação física. “Estamos otimistas porque a lista de atletas na largada é bem forte. Muitos atletas vão buscar o índice olímpico também. Agora é fase de recuperação. Vamos entregar o melhor. Todos estão cientes dos objetivos e vamos tentar voltar com bons resultados. Se não com índices, mas com a certeza de que estamos no caminho certo”, observou.



O treinador lembra que a fase é muito difícil. “Estamos torcendo para que tudo isso passe logo. É duro você ser pressionado pelo fato de nem saber se vai ter outra maratona dentro do período que resta para obter o índice. Estas questões acabam tirando um pouco o sossego dos atletas e dificultando ainda mais planejamento e a organização de treinos, que tenho de propor. Todos são experientes e estão bem preparados”, concluiu Claudio.



Adriana Aparecida da Silva, Andreia Hessel e Valdilene Santos treinaram na Colômbia por mais de um mês. Adriana, bicampeã pan-americana de maratona, e Andreia se prepararam em Sopó, localizada a 2.650 metros acima do nível do mar. Valdilene treinou em Paipa, cidade bem conhecida dos fundistas brasileiros, a 2.502 m.



“Tive a companhia da Adriana e foi um ótimo camping na altitude”, disse Andreia. “É um local novo, onde deu para explorar diversos percursos. Deu tudo certo”, comentou a atleta sobre Sopó. Valdilene treinou sozinha em Paipa, mas voltou ao Brasil satisfeita. “Estou bem preparada, fiz um ótimo camping e esperando uma boa competição em Valência”, disse.



Já Ederson Pereira, medalha de ouro nos 10.000 m dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, manteve a preparação na sua cidade, Caçapava, no Vale do Paraíba, em São Paulo. “Estou otimista para minha estreia na maratona. Os treinos realizados foram muito bem feitos e agora é só esperar a competição”, comentou.



Andreia, Valdilene e Ederson disputaram o Mundial de Meia Maratona em Gdynia, na Polônia, no dia 17 de outubro. Andreia completou na 76ª colocação, registrando a melhor marca de sua carreira na distância (1:14:41). Valdilene teve uma crise de hipotermia por causa do frio e cruzou a linha de chegada em 94º. Já Ederson completou o percurso na 90ª colocação.



A Maratona de Valência terá participação de cerca de 300 atletas, todos de elite, por causa das restrições causadas pela pandemia (tem uma competição virtual para os amadores). Os corredores da prova de 42,195 km farão duas voltas num circuito de pouco mais de 21 km, também em função da segurança sanitária, para ter maior controle de público.



A largada e chegada serão em frente da Cidade das Artes e Ciências de Valência. A maratona terá início às 8:30 locais e a meia maratona às 8 horas. Estão inscritos atletas de 43 países, incluindo a categoria paraolímpica, que também busca índice.



Todos os participantes – atletas, treinadores e dirigentes – ficarão isolados em dois hotéis-bolha, que os organizadores reservaram para o evento.



Entre os destaques na maratona estão os etíopes Birhanu Legese (2:02:48) e Kinde Atanaw (2:03: 51), campeão do ano passado e recordista do percurso valenciano. Está confirmado também o queniano Lawrence Cherono, vencedor das maratonas de Boston e Chicago (2:04: 06), além do campeão mundial Lelisa Desisa, da Etiópia (2:04:45).



Entre as mulheres, a lista de candidatas à vitória tem as etíopes Ruti Aga (2:18:34), Birhane Dibaba (2:18:35), Zeineba Yimer (2:19:28), Tigist Girma (2:19:52) e Mare Dibaba (2:19:52).


Foto: CBAt/Wagner Carmo

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem