Surto História - A 'ajuda' de Anderson Silva no bronze de Maicon Andrade - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto História - A 'ajuda' de Anderson Silva no bronze de Maicon Andrade

Compartilhe



Em abril de 2015, o lutador Anderson Silva de 40 anos (na época) surpreendeu o mundo das lutas ao anunciar que iria tentar se classificar para os Jogos olímpicos do Rio de Janeiro em 2016 no Taekwondo. Era a concretização de um namoro que perdurava desde 2013, quando o 'Spider' foi escolhido como embaixador do Taekwondo no país e o lutador cogitou pela primeira vez disputar a modalidade para se classificar para a olimpíada, mas sua agenda no UFC, onde era um dos principais lutadores na época, o impediu de continuar.


Mas em 2015, ele viu a oportunidade surgir quando foi suspenso do UFC por doping após a sua luta contra Nick Diaz em fevereiro do mesmo ano. Como sua suspensão foi pela Comissão atlética de Nevada, órgão não vinculado a WADA, Anderson poderia competir normalmente no taekwondo. E com isso, procurou  a Confederação Brasileira de Taekwondo para se candidatar a uma das vagas para a Rio 2016, o que foi prontamente atendido. 


"Estou tentando devolver para o esporte o que o esporte me deu. Comecei no taekwondo, e o taekwondo mudou a minha história. Eu já estou treinando, nunca parei de treinar. Existe essa possibilidade, sempre foi uma coisa que eu quis fazer, mas não havia a possibilidade por conta dos meus compromissos estarem muito ativos dentro do UFC. Agora estou tendo essa oportunidade" disse Anderson em entrevista coletiva na época.


Faixa-preta no taekwondo, o primeiro esporte que praticou na carreira, Anderson Silva ficou apto para disputar a categoria acima de 80kg. E como o Brasil tinha quatro vagas confirmadas para os jogos do Rio, a primeira vaga que ficou definida foi a da categoria que Anderson poderia disputar. Mas ele deixou claro que não queria a vaga de presente e que disputaria todas as seletivas necessárias para ficar com ela, mesmo que ele 'passasse vergonha' e perdesse em alguma delas.


Nem toda a celeuma criada pela entrada de Anderson Silva no taekwondo olímpico foi positiva. Principal lutador da categoria acima de 80kg em 2015, Guilherme Félix classificou como 'piada' o anúncio. E a resistência interna ao nome de Anderson seria muito grande, já que ele era sequer filiado à confederação e por causa dele, O sorteio da seletiva pela vaga olímpica não seria mais por ranking,  já que ele estaria zerado nesse aspecto. Sem contar o fato que ele poderia estar usando isso como cortina de fumaça para o seu doping descoberto meses antes.


Porém, o 'sonho' de Spider durou pouco. Dois meses depois, a Confederação de Taekwondo anunciava que Anderson Silva tinha desistido de tentar a vaga olímpica  “Apesar de não ter sido um erro nosso, peço desculpas aos atletas, sociedade e imprensa. Até mesmo pelo fato de a CBTKD ter levado tudo isso a sério e também em todo tempo cumprido com todo nosso  discurso. Ele veio aqui pessoalmente querendo participar da Olimpíada 2016. Agora manda recado por terceiros” Disse em nota o presidente na época, Carlos Fernandes, que reclamou de ter descoberto a desistência por conta de uma entrevista do empresário de Anderson.  


A vaga garantida na categoria acima de 80kg acabou beneficiando Maicon Andrade. Quarto do ranking nacional e 51º do ranking mundial na época, ele venceu os favoritos na seletiva interna e se garantiu nos Jogos olímpicos. No Rio de Janeiro, Maicon,  caiu nas quartas de final para Abdoul Issofou (NIG), foi para a repescagem, venceu os confrontos e na disputa do bronze derrotou Mahama Cho (GBR) de forma emocionante para ficar com a medalha de bronze.


Na época, Maicon foi questionado sobre a possibilidade de ter enfrentado Anderson Silva: “O taekwondo é aberto para qualquer pessoa, pode estar no MMA, jiu-jitsu, para qualquer um. Se a pessoa se interessar, ela pode entrar. Quando ele disse que ia disputar a vaga, lógico, houve mais visibilidade na modalidade, todos viraram os olhos para nós. Mas ele seria só mais um adversário para mim, não interferiria meu trabalho. Eu entraria para ganhar, assim como acredito que ele também entraria. Uma luta entre eu e ele seria mais uma luta normal, eu estaria sempre em busca do meu resultado. E ele estaria atrás do dele.”



foto: Reuters e reprodução/Twitter Anderson Silva



Nenhum comentário:

Postar um comentário