Em live, atletas paralímpicos contam desafios e estratégias para conciliar o esporte e os relacionamentos - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Em live, atletas paralímpicos contam desafios e estratégias para conciliar o esporte e os relacionamentos

Compartilhe


Em uma live realizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) na última quarta-feira (7) atletas e técnico contaram os principais desafios de conciliar a vida esportiva com relacionamentos da vida pessoal. O bate-papo contou com a participação dos atletas Ruiter Silva, Luiza Fiorese, Jéssica Messali e do técnico de triatlo José Carlos Messali. 

O nadador Ruiter Silva, campeão parapan-americano em Lima 2019 na prova mais rápida da natação, os 50m livre, na classe S9, é casado desde 2017 e contou como foi se casar em ano de Campeonato Mundial. 

“Com o adiamento do Mundial do México por causa do terremoto, em 2017, a gente organizou tudo e casou em pouco tempo. A gente fez a cerimônia no dia 24 e, no dia 26, eu viajei porque o Mundial foi remarcado. Não tive lua de mel, já estávamos com tudo comprado, passagem, tivemos de cancelar”, recordou o medalhista paralímpico no revezamento 4x100m livre 34 pontos nos Jogos Rio 2016. 

A triatleta Jéssica Messali, décima colocada no ranking mundial na classe PTWC, é casada com um de seus técnicos, José Carlos Messali. O casal contou como faz para lidar com treinos e o relacionamento entre ambos. 

“Não tem muita separação, às vezes, eu lembro de algo sobre treino à noite e ele já está deitado para dormir e eu começo a falar. E ele manda eu parar e diz que no dia seguinte conversamos, ele separa mais do que eu. Mas em um jantar de casal, surge o assunto treino, esporte, e a gente tem de cortar, mas sempre volta”, contou Jéssica. 

Luiza Fiorese, solteira, jogadora de vôlei sentado da Seleção Brasileira contou como o esporte mudou a vida dela. “Saí da minha cidade, deixei a minha família. Agora, moro em Goiânia e não tenho disposição para sair no fim de semana, os nossos treinos são muito pesados”, explicou a atleta de 23 anos. 

Já Ruiter espera a primeira filha, Júlia, e contou que o nascimento da filha foi planejado de acordo com o calendário paralímpico. “A gente planejou para ela nascer depois dos Jogos de Tóquio. Deu errado por causa do adiamento, mas foi bom porque eu pude acompanhar tudo de perto, todos os exames”. 

Jéssica e José Carlos também planejaram a vida pessoal, do casal, visando os Jogos de Tóquio. “A gente decidiu se dedicar 100% ao esporte até Tóquio, o casal ficou um pouco de lado. Filhos, planos para o futuro do casal vão ser pensados depois dos Jogos”, explicaram.

Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário