Com dobradinha, Bia Souza e Maria Suelen Altheman conquistam bronzes no Grand Slam de Budapeste - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Com dobradinha, Bia Souza e Maria Suelen Altheman conquistam bronzes no Grand Slam de Budapeste

Compartilhe



Bronzil! Com emoção até o fim, Beatriz Souza e Maria Suelen Altheman fizeram dobradinha e conquistaram neste domingo os dois bronzes da categoria pesada feminina do Grand Slam de Judô de Budapeste, na Hungria. Elas se juntaram a Willian Lima e encerraram a participação brasileira na competição, a primeira da retomada da pandemia, com três medalhas da mesma cor.


Bia e Suelen tiveram praticamente o mesmo roteiro até a conquista da medalha. Principais cabeças de chave do torneio, elas entraram na competição já nas oitavas de final e venceram duas lutas antes de serem derrotadas na semifinal. Na luta decisiva, Souza passou pela bósnia Larisa Ceric, enquanto Altheman ganhou da brasileira, naturalizada portuguesa, Rochele Nunes, ambas com um waza-ari.


Neste domingo, Beatriz estreou com vitória tranquila sobre a polonesa Anna Zaleczna, conseguindo um rápido ippon. Maria Suelen fez ainda menos esforço. Ela nem precisou lutar para avançar às quartas de final, já que sua adversária, a lituana Sandra Jablonskyte, não compareceu ao tatami, e a brasileira ganhou por W.O.


Nas quartas, sim, Suelen precisou suar o jidogui para passar pela ucraniana Yelyzaveta Kalanina. Ela conseguiu um waza-ari seguido por ippon a cinco segundos do fim do combate e avançou. Bia passou pela sérvia Milica Zabic, também com um belo ippon na reta final da luta.


Depois de duas vitórias, vieram as derrotas para as brasileiras. Beatriz perdeu para Kayra Sayit, da Turquia (que veio a ser campeã mais tarde), após sofrer um waza-ari seguido por ippon, enquanto Altheman caiu para Nihel Cheikh Rouhou, da Tunísia, com três punições. Na disputa pelo bronze, Bia teve a bósnia Larisa Ceric pela frente, e Maria, a portuguesa Rochele Nunes.



Esta é a sexta medalha de Bia em competições de Grand Slam, a quinta de bronze. Aos 22 anos, ela tem no currículo a conquista do Grand Slam de Brasília, no ano passado, e os terceiros lugares em Abu Dhabi (2017), Ecaterimburgo (2018), Osaka (2019) e Paris (2020), este último disputado antes da paralisação por conta da pandemia do coronavírus.


Suelen, por sua vez, tem 32 anos e ocupa a quinta colocação do ranking olímpico e disputa a vaga a Tóquio diretamente com Bia, que é a sexta. Esta é a 19ª medalha de Suelen em competições de Grand Slam, a sétima de bronze. Sua última conquista do nível havia sido em outubro passado, quando ficou com a prata em Brasília, perdendo a final justamente para Bia.


Além das boas campanhas das pesadas, a delegação brasileira encerrou o último dia de Grand Slam de Budapeste com um sétimo lugar de Rafael Silva (+100kg). Ele venceu uma luta contra o sérvio Zarko Culum, com um rápido ippon, mas perdeu para o neerlandês Jur Spijkers nas quartas, após receber três punições e caiu na repescagem diante do georgiano Levani Matiashvili. 


Outros cinco brasileiros competiram neste domingo. Entre eles, apenas David Moura (+100kg) foi eliminado na estreia, perdendo para o georgiano Levani Matiashvili, o mesmo algoz de Baby, após receber três punições. Outro eliminado cedo foi Marcelo Gomes (90kg), que chegou a vencer o ganês Kwadjo Anani na primeira luta, mas foi derrotado pelo húngaro Krisztian Toth na segunda rodada.


Rafael Macedo (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg) e Rafael Buzacarini (100kg) venceram uma luta e caíram nas oitavas de final. Rafa passou pelo grego Theodoros Tselidis (ippon), sendo derrotado pelo mongol Altanbagana Gantulga (waza-ari). Buzaca aplicou um ippon sobre o mongol Gonchigsuren Batkhuyag, mas perdeu para o francês Alexandre Iddir no golden score. Leo, por sua vez, venceu o americano Nathaniel Keeve (waza-ari) e caiu diante do russo Arman Adamian (ippon).


Este foi o primeiro evento do circuito mundial de judô após quase oito meses de paralisação por conta da pandemia do coronavírus. O Grand Slam de Budapeste contou com 405 atletas, de 61 países, e seguiu as medidas sanitárias preventivas contra a Covid-19, incluindo a não-presença de público e a higienização dos tatamis ao final de cada rodada.


O Brasil levou 18 judocas à competição e encerrou com um saldo de três bronzes, com Willian Lima (66kg), Beatriz Souza (+78kg) e Maria Suelen (+78kg), e um quinto lugar, com Ketleyn Quadros (63kg). O próximo compromisso da seleção brasileira será em novembro, com o Campeonato Pan-Americano, a ser realizado em Guadalajara, no México, entre os dias 19 e 22 do mês.


Foto de capa: Reprodução/IJF

Nenhum comentário:

Postar um comentário