Willian Lima conquista o bronze no Grand Slam de Budapeste - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Willian Lima conquista o bronze no Grand Slam de Budapeste

Compartilhe


O judô brasileiro retornou às competições de alto nível com uma medalha. Willian Lima conquistou o bronze na categoria até 66kg do Grand Slam de Budapeste, na Hungria, o primeiro evento do circuito mundial após a paralisação por conta da pandemia do coronavírus. Willian venceu quatro lutas, incluindo o mongol Erkhembayar Battogtokh na disputa pelo terceiro lugar.


Atual campeão mundial juvenil da categoria, Willian subiu ao pódio em uma competição de Grand Slam pela segunda vez na carreira. Ele, que tem 20 anos, também havia conquistado um bronze em Brasília, em outubro passado, além de um ouro no Aberto Pan-Americano de Bariloche, em março deste ano. 


Em Budapeste, o brasileiro iniciou sua trajetória vencendo por ippon o israelense Yarin Menaged na primeira rodada. Ele conseguiu um waza-ari a um minuto do fim e aplicou um novo golpe menos de 30 segundos depois. Na sequência, passou pelo azeri Nijat Shikhalizada com um novo waza-ari.


Willian enfrentou nas oitavas Narmandakh Bayanmunkh, da Mongólia. Ele venceu após forçar três punições ao adversário. Logo em seguida, teve pela frente um duelo sul-americano com Juan Postigos, do Peru, valendo vaga na semifinal. O brasileiro saiu vencedor por ippon, após dois waza-aris, e se garantiu entre os quatro melhores da competição. 


Na reta decisiva do torneio, Willian encarou o russo Abdula Abdulzhalilov na semifinal. Após quase nove minutos de luta (quatro regulamentar e cinco de golden score),  o sonho do ouro brasileiro foi encerrado com um waza-ari do adversário. 


Lima foi, então, à disputa do bronze, em que enfrentou o mongol Battogtokh. Ele saiu vencedor, com um ippon após dois waza-ari. O algoz do brasileiro, o russo Abdulzhalilov, por sua vez, enfrentou o compatriota Yakub Shamilov na decisão e acabou com a medalha de ouro, embolando a disputa da vaga russa para Tóquio 2020, já que Shamilov é o melhor de seu país no ranking olímpico.


Atual 29º do ranking olímpico, William levou 360 pontos, chegando a 1935, ainda atrás de Daniel Cargnin, 9º colocado com 3682 e atual representante brasileiro em Tóquio. Cargnin não participou da competição na capital húngara.


Outros quatro judocas brasileiros competiram no torneio húngaro nesta sexta-feira. Jessica Pereira (57kg) Eric Takabatake (60kg) venceram uma luta, enquanto Larissa Pimenta (52kg) e Renan Torres (60kg) foram eliminados em suas estreias.


Jessica Pereira (57kg) passou, por waza-ari, pela austríaca Sabrina Filzmoser na primeira rodada. Na sequência, encarou a russa Daria Mehetskaia e sofreu um waza-ari logo no início do combate. Ela chegou a igualar o marcador, devolvendo o waza-ari sofrido a 30 segundos do fim, mas acabou derrotada no início do golden score.


Entre os ligeiros, dois confrontos de Brasil e Hungria na primeira rodada masculina. Renan Torres foi derrotado por David Naji, enquanto Eric Takabatake passou por Marton Andrasi, com um waza-ari. Em seguida, Takabatake teve o português Rodrigo Costa Lopes pela frente, tendo sido derrotado com um waza-ari. Lopes, nascido no Brasil, terminou com a medalha de bronze.


Larissa Pimenta (52kg) foi a última dos brasileiros a lutar no dia, mas a que menos tempo durou no tatami. Ela só estreou na segunda rodada da categoria até 52kg, diante da romena Andreea Chitu, e foi derrotada após 19 segundos de luta.


O Grand Slam de Budapete continua amanhã com mais brasileiros no dojô.


Foto de capa: Emanuele di Feliciantonio

Nenhum comentário:

Postar um comentário