Bach afirma que Olimpíadas de Tóquio não rejeitarão atletas de países com surto de COVID-19 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Bach afirma que Olimpíadas de Tóquio não rejeitarão atletas de países com surto de COVID-19

Compartilhe


Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach declarou que os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021, não rejeitarão atletas mesmo que seus respectivos países enfrentem um novo surto de infecção de coronavírus.


"Os atletas não são responsáveis ​​por isso (o número de infecções em suas nações)", disse Bach. "Se o teste dos atletas for negativo, se respeitarem as orientações e protocolos devemos dar chance para que eles participem". 


Durante um bate-papo no Instagram, com o lançador de dardo alemão Johannes Vetter, campeão mundial em 2017, Bach revelou os esforços dos organizadores para a realização do evento. É esperado que a Vila Olímpica tenha uma área exclusiva para a realização de testes e tratamento casos suspeitos de coronavírus durante as Olimpíadas e Paralimpíadas. 


Outra medida que deverá ser adotada pela organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio será o uso da tecnologia de reconhecimento facial. Além de ajudar na segurança durante os eventos, ela será importante para registrar o rosto dos espectadores, a temperatura de suas superfícies corporais e se estão usando máscaras.


Dessa forma, de acordo com informações coletadas pela agência de notícias Kyodo News, os dados registrados ajudarão a prevenir infecções de pequenos grupos que poderão proliferar a doença. Caso o indivíduo posteriormente apresente a doença, o histórico de dados ajudará a localizar outras pessoas que poderão ter sido infectadas. 


O governo japonês deverá também instalar câmeras nas entradas da Vila Olímpica e nos centros de treinamento, registrando data e hora em que os atletas frequentam os espaços, para verificar se as normas impostas estão sendo cumpridas por todos. 


Foto: Denise Balibouse/LUSA

Nenhum comentário:

Postar um comentário