Gabriela Muniz é destaque sub-20 na marcha atlética - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Gabriela Muniz é destaque sub-20 na marcha atlética

Compartilhe

A brasiliense Gabriela de Souza Muniz (CASO-DF) é um dos destaques da nova geração da marcha atlética nacional. Afinal, a atleta de apenas 18 anos, completados no dia 12 de junho, já detém quatro títulos da Copa Brasil Caixa da especialidade – dois na categoria sub-18 e dois na sub-20. Com ela, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) abre nova série de reportagens com atletas ainda mais jovens de destaque e de futuro no esporte.

Em fevereiro de 2020, Gabriela conquistou o bicampeonato do sub-20, no Recife. Pouco tempo depois, no início de março, disputou o Campeonato Sul-Americano de Lima, Peru, assegurando a medalha de prata. Ela estava qualificada para o Mundial de Minsk, Bielorrússia, marcado para maio, que acabou adiado para 2022 por causa da pandemia da COVID-19. Ela era a única atleta brasileira da categoria de base classificada para a competição por ter superado o índice exigido no ano passado, no GP de La Coruña, Espanha, quando conseguiu a marca de 49:23 nos 10 km, recorde brasileiro da categoria.

Treinada por João Sena e Gianetti Bonfim, pais e treinadores de Caio Bonfim, medalha de bronze no Mundial de Londres-2017, Gabriela pegou coronavírus em abril, quando todos os atletas estavam de quarentena, mas já voltou a treinar normalmente. “Estou bem, buscando recuperar a forma. Como não tenho competição tão cedo, está tudo tranquilo”, comentou a atleta. “Além de resultados, tenho objetivo também de divulgar a marcha, de mostrar que a modalidade é muito importante. E para isso quero representar o Brasil nas Olimpíadas e em Mundiais. Venho de uma família humilde, mas sempre contei com o apoio de meus pais”, afirmou a marchadora.

“Comecei no atletismo muito pequena e não gostava da marcha. Fazia corrida, velocidade e fundo, mas os treinadores sempre me disseram que eu entrava nas provas com o calcanhar. Ai fui encaminhada para a marcha e gostei”, lembrou Gabriela, já mais conformada com o adiamento do Mundial. “Fiquei muito triste. Seria o meu primeiro Mundial e queria muito competir em Minsk”, disse a atleta, revelada pelo professor Gilvan dos Santos, no Itapoã (DF).

A atleta recebe elogios do treinador. “Ela tem talento, é uma atleta especial, que treina muito e gosta muito de marchar”, comentou João Sena.

Gabriela, que terminou 2019 como líder no ranking brasileiro sub-20 dos 10 km, com 49:23, lidera a lista de 2020, com 52.08, tempo obtido em Lima. Além das vitórias na Copa Brasil, tem títulos ainda nos Campeonatos Brasileiros Caixa Sub-20 e Sub-18.

Foto: Diuvlgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário