EUA selecionam atletas para equipe de bobsled e skeleton pela internet - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

EUA selecionam atletas para equipe de bobsled e skeleton pela internet

Compartilhe

Quando pensamos em seletiva para entrar em uma equipe esportiva, logo vem na cabeça uma fila enorme, com atletas nervosos e ansiosos para fazer um teste que poderá mudar suas vidas. Mas em tempos de pandemia, isso tornou-se uma cena incomum e no caso da USA Bobsled e Skeleton (USABS), entidade que regulamenta essas modalidades, o processo ocorre todo pela internet. 


A aproximadamente um ano e meio para os Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, na China, a USASB convidou os atletas que desejam entrar nas equipes de bobsled e skeleton, para enviarem currículos e vídeos onde demonstram suas habilidades técnicas, além de força e velocidade. De acordo com a entidade, a iniciativa tem sido um sucesso. 


“Eu diria que neste curto espaço de tempo - e estamos falando realmente de maio para agora - acho que esta foi a maior taxa de resposta de qualquer coisa de recrutamento que já fizemos”, disse o assistente técnico do USABS Mike Dionne, que lida com grande parte dos esforços de recrutamento da federação. 


“Fiquei chocado com a quantidade de respostas que estávamos recebendo”, revelou em entrevista ao Associated Press.


Com isso, pessoas passaram a mandar vídeos de várias formas. Empurrando carrinhos de supermercado em estacionamento, desempenho em momentos de velocidade num campo de rugby, e até mesmo histórias de amadurecimento, como a da mulher que perdeu um gol em uma final estadual de um torneio de futebol nos EUA. 


Segundo o CEO da USABS, Aron McGuire, a ideia de seletivas online "veio para ficar". 


“Com coronavírus ou não, temos que pensar em maneiras de ser mais eficientes e realmente ter um alcance maior. Podemos deixar mais atletas animados com os esportes e envolvê-los. Então, essa é uma ótima maneira de alcançar a próxima geração de atletas". 


Além disso, a ideia de seletivas pela internet economiza dinheiro. Enquanto os testes online não limitam os organizadores a um local, um evento presencial precisaria passar por oito, até mesmo dez cidades. 


Os selecionados poderão sonhar com uma vaga em Pequim 2022, já que a USABS não descartou ter esses novatos nos times olímpicos. Assim que possível os atletas deverão ir à pista para seguir um cronograma rigorosos de treinos. 


"Para um puxador de bobsled, 2022 definitivamente não está fora de questão”, disse Dionne. “E também estamos tentando preencher a pista de pilotos de bobsled e skeleton, mais do que qualquer coisa. Em média, isso pode ser um processo de oito anos antes que eles estejam prontos para entrar na disputa por medalhas nas Olimpíadas. Então, temos que colocar esses atletas na pista". 


Foto: John Tully/NPR

Nenhum comentário:

Postar um comentário