CBG encaminha denuncias de assédio moral e racismo no Pinheiros ao STJD da ginástica - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

CBG encaminha denuncias de assédio moral e racismo no Pinheiros ao STJD da ginástica

Compartilhe


A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) informou em nota que encaminhou todas as denúncias de assédio moral e racismo na equipe do Pinheiros mostradas na matéria do programa 'Esporte Espetacular' da TV Globo ao STJD da ginástica.  A entidade afirmou ter solicitado  criteriosa apuração, análise e as providências cabíveis.
"A CBG é absolutamente intolerante a qualquer ato de assédio, abuso, violência, doping, fraude ou preconceito, mantendo rigoroso e permanente programa educacional de integridade, voltado inclusive para estimular denúncias, que podem ser enviadas por meio do nosso canal de ética ou pela ouvidoria" ressaltou a nota.

Dias após a reportagem a CBG afirmou que tinha pedido esclarecimentos ao Pinheiros. O clube paulista identificou em auditoria interna casos de assédio moral e injúria racial dentro da sua equipe de ginástica artística, mas o único punido foi Ângelo Assumpção. O ginasta acabou demitido após relatar ser vítima de racismo dentro da equipe.

Os cinco treinadores citados no relatório de auditoria interna do Pinheiros obtido com exclusividade pela reportagem - Hilton Dichelli, Cristiano Albino, Lourenço Ritli, Felipe Polato e Danilo Bornea - devem ser chamados para oitivas dentro um período de até 30 dias. O ginasta Ângelo Assumpção, que disse ter sofrido injúria racial dentro do Pinheiros, também deve ser chamado, assim como outros nomes que constam do relatório.

Confira a íntegra da nota:

A CBG ( Confederação Brasileira de Ginástica), informa que encaminhou ao Presidente do STJD da Ginástica e ao Conselho de Ética da CBG toda a documentação relativa ao episódio veiculado no programa Esporte Espetacular, que envolve o Esporte Clube Pinheiros. O material consiste em matérias jornalísticas, manifestação do clube e dos treinadores citados. A Confederação solicita criteriosa apuração, análise e as providências cabíveis.

A CBG é absolutamente intolerante a qualquer ato de assédio, abuso, violência, doping, fraude ou preconceito, mantendo rigoroso e permanente programa educacional de integridade, voltado inclusive para estimular denúncias, que podem ser enviadas por meio do nosso canal de ética ou pela ouvidoria.


foto: Ricardo Bufolin/ CBG

Nenhum comentário:

Postar um comentário