Maratonista marroquino recebe suspensão de quatro anos por doping - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Maratonista marroquino recebe suspensão de quatro anos por doping

Compartilhe

O maratonista marroquino El Mahjoub Dazza foi banido pela Unidade de Integridade de Atletismo (AIU) por quatro anos após testar positivo para uma substância proibida.

Dazza, que estabeleceu um recorde nacional de 2:05:26 na Maratona de Valencia 2018, venceu a Maratona de Praga e a Maratona de Fukuoka no ano passado, antes de uma investigação da AIU encontrar anomalias no seu Passaporte Biológico para Atletas (ABP).

No momento de sua suspensão, em janeiro, Dazza estava em oitavo no ranking mundial de maratonistas masculinos e provavelmente teria competido no Tóquio 2020 caso seu doping não tivesse sido descoberto.

A AIU, que opera independentemente do World Athletics, confirmou que Dazza recebeu uma suspensão de quatro anos. Um ABP monitora certas variáveis ​​biológicas ao longo do tempo, o que pode revelar que um atleta se dopou, em vez de identificar a substância ou o método usado para trapacear.

O período de inelegibilidade de Dazza começou em 10 de janeiro de 2020 e só terminará em 2024 - pouco antes do aniversário de 33 anos do atleta. Os resultados do marroquino de 4 de maio de 2019 - um dia antes da vitória na Maratona de Praga, quando ele gravou o tempo recorde - foram desqualificados.

Este período também abrange a vitória de Dazza em Fukuoka, com Dawit Wolde, da Etiópia e Taku Fujimoto, do Japão, tornado-se os vencedores dessas provas respectivamente. Em março, Marrocos - junto com a Nigéria - foi adicionado à lista de países considerados com maior risco de doping pela AIU.

Foto: Africa24

Nenhum comentário:

Postar um comentário