Fundista Jeovana Santos quer repetir no adulto o sucesso obtido nas categorias de base - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Fundista Jeovana Santos quer repetir no adulto o sucesso obtido nas categorias de base

Compartilhe

A paulista Jeovana Fernanda Leopoldina dos Santos, da Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA), é uma promessa do atletismo brasileiro. Afinal, ela terminou na liderança no Ranking Brasileiro de 2018 e 2019, na categoria sub-20, nas provas dos 3.000 m, 5.000 m e 3.000 m com obstáculos. O objetivo é alcançar este nível entre as adultas.

Nascida a 13 de março de 2000, em Bauru, a atleta enfrentará no resto da temporada de 2020 e de 2021 o desafio de competir apenas com adultas, embora não seja novidade para Jeovana, que foi quarta colocada nos 3.000 m com obstáculos no Troféu Brasil Caixa de 2019, com 11:11.93, em Bragança Paulista.

Os recordes pessoais da corredora são: 17:47.91 nos 5.000 m, 10:08.61 nos 3.000 m e 10:56.03 nos 3.000 m com obstáculos.

No ano passado, conquistou o bicampeonato brasileiro sub-20 nos 5.000 m, além de ter sido medalha de prata nos 3.000 m. Ela foi superada por Maria Lucineida da Silva Moreira (Projeto Atletismo Campeão-PE). Na temporada, foi campeã também do sub-20 na Copa Brasil Caixa de Cross Country e 4ª no Sul-Americano da especialidade do Equador.

“Por causa da pandemia não cheguei a competir este ano. Estou fazendo treinos de manutenção e pensando em 2021”, disse a atleta, orientada há quatro meses por Carlos Alberto Santos, em Bauru. “Em dezembro penso em disputar o GP Brasil e o Troféu Brasil, em São Paulo, mas sem os objetivos inicialmente traçados.”

Jeovana começou a praticar atletismo de forma sistemática aos 14 anos. “Participei de uma competição que simulava uma prova de cross country e aí o técnico Neto Gonçalves me viu e me convidou para treinar sério. No início, não gostava muito. Aos poucos, porém, fui pegando gosto”, lembrou a corredora.

Em sua primeira temporada oficialmente no sub-23 e adulto, Jeovana vai continuar se dedicando aos 3.000 m com obstáculos e aos 5.000 m, com o objetivo de melhorar suas marcas.

Para Carlos Alberto Santos, embora a atleta ainda deva competir este ano, o foco é para 2021. “É uma nova realidade e vamos nos adaptar. Treinamos mesmo na quarentena. Tenho contato com ela três vezes por semana e nos outros dias ela cumpre os treinos determinados”, explica o treinador da ABDA, que trabalha ao lado de Neto Gonçalves.

Os bons resultados de Jeovana vêm de longe. Em 2017, por exemplo, ficou em primeiro lugar no Ranking Brasileiro Sub-18 dos 3.000 m e dos 2.000 m com obstáculos.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário