Surto Recapitula: Como está o ciclo olímpico do tênis de mesa - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto Recapitula: Como está o ciclo olímpico do tênis de mesa

Compartilhe

Este ciclo olímpico foi de grande evolução e afirmação para Hugo Calderano. Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o brasileiro ocupava a 54ª colocação no ranking mundial e a partir daí começou a sua escalada, chegando ao Top 10 pela primeira vez em julho de 2018 e desde novembro deste mesmo ano figura sempre na lista dos dez melhores mesatenistas do planeta, ocupando atualmente o sexto lugar, sua melhor posição na carreira.

Em mundiais de simples, o brasileiro chegou até a terceira rodada em 2017 e até a fase de oitavas de final em 2019, parando apenas em mesatenistas chineses. Na última edição do torneio, ele foi derrotado por Ma Long, atual tricampeão do mundo. Já no mundial por equipes, disputado em 2018 na Suécia, Calderano ajudou o Brasil a chegar em uma inédita fase de quartas de final, vendendo caro a derrota para a Alemanha.

Bruna Takahashi nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Foto: Divulgação/Rede do Esporte

No feminino, Bruna Takahashi apareceu como a grande promessa do Brasil na categoria, mostrando uma grande evolução ao longo do ciclo olímpico. A jovem de 20 anos atingiu o Top 100 no início de 2018 e chegou ao Top 50 no final do ano passado. Bruna ocupa atualmente a 47ª posição do ranking mundial.

O Brasil foi o principal destaque na última edição dos Jogos Pan-Americanos, disputados na capital peruana Lima no ano passado. O país foi o que mais conquistou medalhas na modalidade, com sete no total, sendo dois ouros, duas pratas e três bronzes. As medalhas de ouro vieram no masculino, com Hugo Calderano faturando o título tanto na disputa individual quanto nas duplas, esta última contando com a parceria de Gustavo Tsuboi.

Surte +  Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Tênis de Mesa

Foto: Divulgação/Rede do Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário