Surto História: Luciano do Valle e seu grande legado para o esporte brasileiro - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto História: Luciano do Valle e seu grande legado para o esporte brasileiro

Compartilhe

Neste sábado (4), Luciano do Valle completaria 73 anos de idade. Um dos maiores locutores esportivos da televisão brasileira deixou um legado, não apenas na história da comunicação do país, mas também ao ter um papel fundamental na criação de ídolos e na popularização de diversos esportes, especialmente os olímpicos.

Início da carreira

Luciano do Valle começou sua carreira aos 16 anos como locutor na Rádio Educadora de Campinas e pouco tempo depois se transferiu para a Rádio Brasil, onde já fazia narrações de futebol. Quatro anos mais tarde, se mudou para São Paulo onde foi trabalhar na Rádio Gazeta. Em 1968, se mudou para a Rádio Nacional, onde fazia a narração de diversas modalidades. Nesta rádio, participou da cobertura da conquista do tricampeonato mundial de futebol da Seleção Brasileira na Copa de 70 no México.

Mudança para a Rede Globo e primeiras coberturas olímpicas

Em 1970, Luciano do Valle se transferiu para a Rede Globo. Sua primeira transmissão foi do Troféu Governador do Estado de São Paulo, um torneio de basquete masculino disputado no Ginásio do Ibirapuera. Participou da cobertura do Pan de Cáli em 1971 e no ano seguinte cobriu a sua primeira Olimpíada em Munique.

Logo após a Copa do Mundo da Alemanha em 1974, se tornou o principal locutor do canal após a saída de Geraldo José de Almeida. Neste mesmo ano, narrou a segunda conquista de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1. Ainda pela Globo, narrou mais duas Olimpíadas (Montreal 1976 e Moscou 1980) e após a cobertura da Copa do Mundo da Espanha em 1982, se transferiu para a TV Record.

A popularização do vôlei no Brasil

Paralelamente ao trabalho na TV Record, Luciano do Valle desenvolveu uma carreira de empresário e promotor esportivo, montando as empresas PromoAção e Luqui. Usando o seu prestígio como principal locutor do país na época, ajudou a promover diversas modalidades que não tinham espaço na TV brasileira. 

Seu primeiro grande feito foi a organização do Grande Desafio de Vôlei entre as seleções masculinas do Brasil e da União Soviética, realizado no estádio do Maracanã em julho de 1983, com transmissão ao vivo pela Record. Debaixo de muita chuva, mais de 95 mil pessoas lotaram o maior estádio do mundo. A partida, que teve o maior público da história do vôlei mundial, é considerada um divisor de águas para o esporte brasileiro e também considerada pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB) como uma das mais importantes partidas da história da modalidade.

Luciano ajudou a tornar ídolos jogadores como Bernard, William, Montanaro e Renan, que posteriormente ficaram conhecidos como a "Geração de Prata" do vôlei brasileiro. Por tudo isso, o locutor chegou a receber o apelido de "Luciano do Vôlei".




Mudança para a Bandeirantes e criação do "Show do Esporte"

Ainda em 1983, se mudou para a Rede Bandeirantes, iniciando uma grande reformulação na transmissão esportiva da TV brasileira, ampliando o espaço de cobertura e visibilidade para muitos atletas e modalidades. Com o slogan "O Canal do Esporte", Luciano criou o programa chamado "Show do Esporte", que levava cerca de 10 horas de programação esportiva aos domingos, que apresentava uma variedade de eventos esportivos. Foi o pioneiro nas transmissões da Fórmula Indy, NBA e NFL no país.

Neste período, Luciano abriu espaço para atletas como Hortência e Paula. Rivais em seus clubes, as duas se tornaram ídolos e elevaram o basquete feminino do Brasil a um novo patamar. As duas lideraram a seleção no histórico ouro do Pan de Havana em 1991. No ano seguinte, levaram o Brasil para sua primeira Olimpíada em Barcelona. Mas a consagração veio mesmo em 1994 com a conquista do título mundial na Austrália, desbancando os Estados Unidos na semifinal e a China na decisão. Dois anos mais tarde, levaram a seleção para uma inédita prata olímpica em Atlanta.




Incentivo ao futebol feminino

O pioneirismo de Luciano do Valle chegou também ao futebol feminino. Nos anos 90, ele tornou conhecido nomes como Sissí, Pretinha, Kátia Cilene, Roseli, Formiga, entre outras. A Band transmitiu as primeiras edições da Copa do Mundo e por muito tempo era a única opção para quem queria acompanhar a modalidade.

Veio a década seguinte e com ela a geração liderada por Marta, que é protagonista de uma das narrações mais marcantes da carreira de Luciano. Na semifinal da Copa do Mundo da China em 2007, ela marca um golaço que fecha a goleada contra os Estados Unidos e Luciano descreve como gol de gênio e chama a atenção para o surgimento de um fenômeno, já que na época a jogadora tinha apenas 21 anos. E ainda repete a mesma frase que utilizou no gol de placa feito por Zico contra a Iugoslávia em 1986: "Não há palavras para descrever o gol de Marta!".



Revolucionário, empreendedor e visionário. Esses são alguns dos adjetivos que podemos descrever Luciano do Valle, que marcou época na história da televisão brasileira. O seu incentivo ao esporte brasileiro foi fundamental para gerações de atletas e de torcedores.

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário