Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Ginástica Artística - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Ginástica Artística

Compartilhe

Status: Incompleto, com 81% das vagas preenchidas (160 de 196). As Copas do Mundo e os eventos continentais só acontecerão em 2021.

Eventos/Vagas: 14 eventos (8 masculinos e 6 femininos) com 196 atletas (98 homens e 98 mulheres)
Masculinos:
  • Equipes (12)
  • Individual geral (98)
  • Argolas
  • Barra fixa
  • Barras paralelas
  • Cavalo com alças
  • Salto
  • Solo
Femininos:
  • Equipes (12)
  • Individual geral (98)
  • Barras assimétricas
  • Salto
  • Solo
  • Trave

Sistema qualificatório

Aproximadamente 80% das vagas olímpicas da ginástica artística já foram preenchidas com os Mundiais de 2018 e de 2019 e com as Copas do Mundo de 2019. O Mundial de 2018, em Doha, no Catar, garantiu as três equipes medalhistas em cada naipe no pódio. O Mundial de 2019, em Stuttgart na Alemanha, deu vaga olímpica a mais 18 seleções, nove por naipe, e a 54 ginastas no individual, 33 no feminino e 31 no masculino (no individual geral, foram 32 e 19, respectivamente, e o restante veio das provas por aparelhos). 

Restam poucas definições quanto às Copas do Mundo por Aparelhos (uma etapa), que dá seis cotas para os homens e quatro para as mulheres, e a Copa do Mundo Individual Geral (três etapas), que dá três vagas para homens e três para as mulheres*, além dos campeonatos continentais, que distribui duas vagas no caso da América.

Torneios restantes (todos previstos para 2021): 
  • uma etapa da Copa do Mundo por Aparelhos (seis vagas para homens e quatro para mulheres);
  • três etapas da Copa do Mundo Individual Geral (até três vagas por naipe)*;
  • Campeonato Pan-Americano (duas vagas por naipe)
  • Campeonato Asiático (duas vagas por naipe)
  • Campeonato Europeu (duas vagas por naipe)
  • Campeonato Africano (duas vagas por naipe)
  • Campeonato Oceânico (uma vaga por naipe)
*apenas países que possuem a equipe classificada podem enviar atletas

Brasil

Flávia Saraiva tem chances de medalha em pelo menos três provas: individual geral, solo e trave (Ricardo Bufolin/CBG)
Depois de fazer bonito na Rio-2016 com três medalhas, o Brasil quer repetir o feito em Tóquio. O país possui cinco classificados, quatro no masculino (equipe) e um no feminino (Flávia Saraiva), todas as vagas obtidas através do Mundial de 2019. A equipe feminina acabou na 14ª colocação (até o 12º se classificou), após lesões de Jade Barbosa e Rebeca Andrade. 

No entanto, Rebeca é a favorita para ficar com uma das duas vagas que o Campeonato Pan-Americano distribuirá, já que não haverá concorrência de americanas e canadenses, por já terem classificado a equipe. A brasileira tentava qualificar-se via Copa do Mundo por Aparelhos, mas a penúltima etapa da competição (Baku) foi cancelada pela metade e ela não tem mais chances de classificação.

Países classificados

Masculino: 
  • Equipes: Alemanha, Brasil, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Japão, Rússia, Suíça, Taiwan e Ucrânia
  • Individual**: Artur Davtyan (ARM), Tyson Bull (AUS), Ivan Tikhonov (AZE), Andrey Likhovitskiy (BLR), David Huddleston (BUL), René Cournoyer (CAN), Milad Karimi (KAZ), Marios Georgiou (CYP), Tin Srbić (CRO), Manrique Larduet (CUB), Carlos Yulo (PHI), Loris Frasca (FRA), Cyril Tommasone (FRA), Samir Aït Saïd (FRA), Shek Wai Hung (HKG), Rhys McClenaghan (IRL), Alexander Shatilov (ISR), Artem Dolgopyat (ISR), Ludovico Edalli (ITA), Marco Lodadio (ITA), Robert Tvorogal (LTU), Daniel Corral (MEX), Sofus Heggemsnes (NOR), Bart Deurloo (NED), Marian Drăgulescu (ROU), David Rumbutis (SWE), Ahmet Önder (TUR), Ferhat Arıcan (TUR), İbrahim Çolak (TUR), Lê Thanh Tùng (VIE) e Rasuljon Abdurakhimov (UZB)
Feminino: 
  • Equipes: Alemanha, Bélgica, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão, Países Baixos e Rússia
  • Individual**: Caitlin Rooskrantz (RSA), Martina Dominici (ARG), Georgia Godwin (AUS), Elisa Hämmerle (AUT), Marina Nekrasova (AZE), Anastasiya Alistratava (BLR), Flávia Saraiva (BRA), Simona Castro (CHI), Kim Su-jong (PRK), Lee Yun-seo (KOR), Yeo Seo-jeong (KOR), Ana Đerek (CRO), Marcia Vidiaux (CUB), Mandy Mohamed (EGY), Barbora Mokošová (SVK), Zsófia Kovács (HUN), Lihie Raz (ISR), Danusia Francis (JAM), Farah Abdul (MAS), Alexa Moreno (MEX), Julie Erichsen (NOR), Ariana Orrego (PER), Gabriela Janik (POL), Ana Filipa Martins (POR), Aneta Holasová (CZE), Maria Holbura (ROU), Tan Sze En (SGP), Jonna Adlerteg (SWE), Giulia Steingruber (SUI) Ting Hua-tien (TPE), Nazlı Savranbaşı (TUR), Diana Varinska (UKR) e Oksana Chusovitina (UZB)

** Mesmo conquistando a vaga em provas por aparelhos, todos os atletas terão que participar do individual geral na Olimpíada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário