Grupos realizam campanha visando fim do preconceito contra pessoas LGBT no Japão, antes das Olimpíadas - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Grupos realizam campanha visando fim do preconceito contra pessoas LGBT no Japão, antes das Olimpíadas

Compartilhe

Diversos grupos de direitos humanos no Japão lançaram nesta quinta-feira (23), a campanha #EqualityActJapan, para pressionar por mudanças na legislação, visando proteger cidadãos LGBTQIA+ da discriminação. O projeto cobra também o tratamento com igualdade durante os Jogos Olímpicos de Tóquio que serão realizados em 2021. 

A campanha é apoiada por instituições como a Human Rights Watch, Athlete Ally, além da Aliança do Japão para Legislação LGBTQIA+ (J-ALL), que abrange outros 100 grupos desta comunidade em todo o país e promoveu a ação diretamente com atletas nacionais e internacionais lutando pelo fim da discriminação dentro do esporte também. 

"As pessoas LGBTQIA+ no Japão têm direito a igual proteção nos termos da lei", declarou Yuri Igarashi, co-representante diretor da J-ALL. "Adiar os Jogos Olímpicos para 2021 deu ao governo tempo para introduzir e aprovar proteções históricas para beneficiar todos no Japão", ponderou. 

A campanha é aberta para todos que desejarem combater o preconceito e promete apresentar uma série de oportunidades para que as pessoas possam participar tanto virtualmente como de forma presencial em ações desta causa. 

O que a carta olímpica diz?

Motivo de polêmica nos últimos meses por conta da "Regra 50", que proíbe manifestações durante as Olimpíadas, a Carta Olímpica no entanto, proíbe também "qualquer tipo de discriminação", incluindo aquelas de orientação sexual.

O governo metropolitano de Tóquio adotou uma portaria que protege pessoas LGBTQIA+ de discriminação com base na orientação sexual e identidade de gênero em outubro de 2018.

Porém, diversos eventos olímpicos sairão dos limites da capital japonesa, incluindo maratonas, golfe, marcha atlética, sotfbol e surfe. Então essa poderá ser uma oportunidade para ampliar a campanha e solicitar a ajuda de outras cidades nesta luta. 


A diretora japonesa da Human Rights Watch, Kanae Doi, acrescentou no debate: "O Japão tem a oportunidade de ser um verdadeiro líder global de direitos LGBT, protegendo-os contra a discriminação no país".

"O governo metropolitano de Tóquio demonstrou solidariedade com a comunidade LGBT ao aprovar sua histórica lei olímpica de não discriminação LGBT, e o governo nacional deve seguir urgentemente o exemplo."

Apesar disso, o Japão ainda adota leis como a exigência de que pessoas possam ser identificadas pelo gênero que desejam ser reconhecidas apenas após uma cirurgia de redesignação sexual. 

As leis anti-discriminação existem em poucas partes do país, proibindo até mesmo a adoção de crianças por casais do mesmo gênero. Além disso, o casamento homoafetivo ainda não é legal no Japão, mesmo com 54% da população sendo favorável, de acordo com a pesquisa "The Global Divide on Homosexuality", da Pew Research Center, um site informativo não partidário. 

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário