Barrerista Adrian Vieira encara os desafios em busca de recordes pessoais - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Barrerista Adrian Vieira encara os desafios em busca de recordes pessoais

Compartilhe

O paulista Adrian Henrique Dias Vieira (SESI-SP) tem construído uma carreira consistente nas categorias de base do atletismo brasileiro. Nascido a 3 de janeiro de 2001, na cidade de Mogi Guaçu, tem-se destacado nas provas do salto em distância e dos 110 m com barreiras, com inúmeros títulos nacionais e integrante de seleções brasileiras.

Aos 19 anos, tem como objetivo melhorar suas marcas no salto em distância e nos 110 m com barreiras, provas que assumiu na categoria sub-20, depois de ter disputado também o salto triplo no sub-18.

No ano passado, foi campeão brasileiro da categoria no distância, com 7,54 m (-1.7), e segundo colocado nos 110 m, com 14.16 (-1.6), em Bragança Paulista. No Sul-Americano de Cáli, na Colômbia, foi vice-campeão nas duas provas (7,23 m e 13.85). E, no Campeonato Pan-Americano de San José, na Costa Rica, terminou em quarto lugar no distância, com 7,39 m (0.9).

“Esta temporada está bem difícil. Comecei com foco nos índices para o Mundial Sub-20 de Nairóbi, mas as competições foram adiadas ou canceladas por causa da pandemia da COVID-19. Fiquei triste, mas agora voltei minhas atenções para o Brasileiro Sub-20, para o Sul-Americano Sub-23 e para o Troféu Brasil deste ano”, disse o atleta, treinado por Darci Ferreira da Silva, em Santo André (SP).

Desde o início da pandemia, o atleta foi liberado pelo SESI para voltar à casa da família e seguir os protocolos de segurança. “Voltei para Mogi Guaçu, na casa dos meus pais. Estou improvisando com pesinhos, saco de arroz, exercícios de ativação para manter o condicionamento físico e mental. Perto de casa tem uma praça e um campo e faço algo mais específico, mas para ter cuidado a maior parte só em casa”, lembrou.

Adrian terminou 2019 em primeiro lugar no ranking brasileiro sub-20 do salto em distância, com 7,54 m (-1.7) e em segundo nos 110 m com barreiras, com 13.85 (0.0). Nos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em 2018, em Buenos Aires, na Argentina, ficou em quarto lugar, com 7,44 m no primeiro estágio, e com 7,50 m no segundo.

Apesar das dificuldades enfrentadas nesta época, Darci Ferreira está otimista. “O Adrian buscará suas melhores marcas pessoais ainda este ano. Vamos passar pela pandemia e seguir ainda mais fortalecidos”, comentou o treinador, campeão com o SESI do Brasileiro Sub-20 de 2019.

“A nova geração de atletas está vindo com força e cada um procura mostrar o seu potencial. Vamos entrar em 2021 com o pé direito e a esperança de competir bem no Brasil e no exterior”, comentou Adrian, que começou no esporte em 2011, em Mogi Guaçu, e que desde 2016 está no SESI, primeiro em Piracicaba e agora em Santo André. “Não vejo a hora de voltar a saltar e a ultrapassar as barreiras”, disse o campeão do salto triplo nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Santiago do Chile, em 2018, com 13,92 m (2.4).

Foto: Wagner Crmo/CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário