Atletas e treinadores adotam cuidados na volta às atividades no Centro de Desenvolvimento Nacional de Atletismo - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Atletas e treinadores adotam cuidados na volta às atividades no Centro de Desenvolvimento Nacional de Atletismo

Compartilhe

O Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), reabriu na segunda-feira (6/7), depois de 105 dias fechado para os treinamentos em função da pandemia da COVID-19. Nesta primeira semana desde a reabertura, um grupo de apenas 27 atletas teve acesso à pista e à academia, mesmo assim com todos os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias de Bragança Paulista.

“Nesta primeira semana correu tudo dentro da expectativa. Tivemos de fazer pequenos ajustes no decorrer dos dias, mas em momento algum houve aglomeração ou outro tipo de problema”, comentou Edemar Alves, coordenador técnico do CNDA. “Estamos com número pequeno de atletas. Nem todos treinam no mesmo horário. Estamos na torcida para poder, com o passar dos dias, liberar a participação para mais atletas.”

De acordo com o protocolo firmado entre a CBAt e a prefeitura da cidade, os treinos seguem várias normas e são realizados em apenas dois horários, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas, e, nos sábados, apenas das 8 às 12 horas.

Entre os atletas autorizados para voltar ao CNDA está o recordista sul-americano do arremesso do peso e campeão do Pan-Americano de Lima-2019, Darlan Romani, uma esperança de medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2021. Sua companheira de treino Geisa Arcanjo também voltou, ambos são orientados pelo especialista cubano Justo Navarro.

“Estamos nos acostumando ao ‘novo normal’, que estabelece o uso de máscaras, de álcool em gel e o distanciamento entre as pessoas. Os treinos foram bons e é muito bacana poder voltar à pista. Além dos cuidados necessários para evitar a contaminação, temos de ir com calma para não correr riscos de lesões”, disse o técnico Sanderlei Parrela, que tem treinado Hederson Estefani e Liliane Barbosa (ambos dos 400 m com barreiras), entre outros, no CNDA.

Para o técnico Clodoaldo Lopes do Carmo, todos os cuidados são necessários nesta pandemia. Dois de seus atletas não estão podendo treinar no CNDA por não se encaixarem nas regras. “Temos de entender o momento grave pelo qual passamos. Perdi minha avó, Filomena, para a doença e temos de apoiar as medidas de cautela”, disse o treinador.

“Cinco atletas voltaram aos treinos, com todos os cuidados. Estão se readaptando à pista e às sapatilhas, depois de um longo tempo correndo nas ruas de tênis. Tudo está sendo feito com tranquilidade porque o Troféu Brasil é a meta e só será disputado em dezembro. Temos tempo”, concluiu Clodoaldo, ex-atleta olímpico, que entre outros orienta Kleberson David (800 m), Carlos Santos (1.500 m) e Joelma das Neves (400 m) em Bragança.

“Foi muito bom voltar. Muito melhor do que estava fazendo no terrão”, lembrou, brincando, Augusto Dutra, qualificado para os Jogos de Tóquio no salto com vara, referindo-se ao local em que improvisava os treinos em Bragança. “Voltei a saltar nesta sexta-feira e é outra coisa. Na próxima semana vou três vezes fazer a parte técnica. O restante das atividades farei em casa mesmo”, completou o campeão brasileiro e sul-americano e medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019.

Cuidados - Todos os atletas e treinadores têm de aferir a temperatura corporal na entrada do CNDA e responder a um questionário diário de anamnese. Todos têm de utilizar máscaras de proteção, podendo retirá-las somente no momento dos exercícios.

Neste primeiro momento, somente podem treinar atletas que morem em Bragança Paulista, que integrem o Plano de Preparação Olímpica do COB/CBAt, medalhistas em Campeonatos Mundiais e Jogos Pan-Americanos (2019), atletas da categoria sub-20 medalhistas no Mundial 2018 ou que possuam índices para o Mundial Sub-20 de 2020, e os que já realizam treinamento contínuo no CNDA, maiores de 18 anos e que estejam entre os 10 primeiros do ranking brasileiro no período de 1º de janeiro de 2019 a 15 de março de 2020.

Os atletas devem sempre estar acompanhados de seus treinadores. Está proibido o treinamento de menores de 18 anos e recomenda-se fortemente que não haja a presença de pessoas acima de 60 anos na instalação. Está proibida também a entrada de parentes de qualquer grau, dirigentes, amigos etc.

A permanência de atletas e técnicos no CNDA somente está permitida durante o horário de treinamento autorizado - ninguém pode permanecer no local antes ou depois do horário determinado.

A CBAt, sempre em conjunto com as autoridades sanitárias de Bragança Paulista, avaliará constantemente a situação da pandemia da COVID-19, visando a expansão de atendimento a outros atletas, o que será divulgado sempre por Nota Oficial da entidade.

Foto: CBAt/Wagner Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário