Recordista brasileira do heptatlo, Vanessa Chefer mira vaga olímpica na última temporada da carreira - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Recordista brasileira do heptatlo, Vanessa Chefer mira vaga olímpica na última temporada da carreira

Compartilhe

Recordista nacional e maior nome do heptatlo brasileiro, a paulistana Vanessa Chefer, que pretende encerrar a carreira no ano que vem, está na busca pelo lugar em Tóquio 2020.

No momento, a brasileira de 30 anos ocupa a 29ª primeira posição entre as atletas elegíveis do ranking mundial, que classificará as 24 melhores heptatletas para os Jogos. Para conseguir a vaga, a esportista precisa subir na lista ou atingir a marca de 6420 pontos, que a garantiria automaticamente em Tóquio.

“Se eu chegasse às Olimpíadas, ficaria muito feliz. Quero terminar minha carreira na competição mais importante ou me aposentar tentando o meu melhor para me qualificar", disse ela em entrevista à World Athletics. "Não quero terminar minha carreira sem fazer heptatlo. Então eu digo para mim mesma: ‘Vanessa, só mais um ano. Apenas mais um."

A atleta planejava treinar no país até o final da janela de classificação olímpica, inicialmente marcado para junho deste ano, e competiria, entre outros torneios, no Campeonato Brasileiro. Porém, a pandemia de COVID-19 levou ao adiamento dos Jogos Olímpicos e fez com que a atleta precisasse voltar às pressas para Londres, onde mora atualmente com a esposa, devido às restrições de viagem que seriam impostas no Reino Unido.

Bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto em 2015, a esportista participou de suas primeiras Olimpíadas em 2016, no Rio de Janeiro. Como o heptatlo era a disputa que abria o programa do atletismo e a brasileira estava na primeira raia da primeira bateria dos 100m com barreiras, Chefer foi a primeira atleta a ser anunciada no Estádio Olímpico e teve seu nome gritado pelos torcedores.

“Fui a primeira atleta, na primeira bateria, no primeiro dia de competição, na primeira pista. Eles não paravam de chamar meu nome!", relatou, rindo. “Foi super especial para mim, um sonho realizado no meu país."

Depois dos sete eventos, Chefer marcou 6024 pontos e terminou na 23ª posição. Logo antes das Olimpíadas, Vanessa havia competido no Campeonato Brasileiro em São Bernardo do Campo, onde se tornou recordista nacional, com 6188 pontos. 

A atleta esteve também nos Mundiais de 2015 e de 2017, terminando entre as 30 primeiras nas duas oportunidades. No Pan de Lima em 2019, Chefer chegou muito perto das medalhas, mas acabou terminando na quinta colocação. 

"Gosto muito das grandes competições", disse ela. "Para arremessadores de peso e velocistas, é tão rápido que eles não podem aproveitar o estádio. O heptatlo dura dois dias em uma pista enorme, com pessoas adoráveis ​​torcendo por você, por isso é muito bom. Esta é a vida!"


Com tantas competições e experiências no currículo, a brasileira espera ser inspiração para jovens atletas, principalmente garotas, que desejem embarcar no atletismo.

"Às vezes, as meninas vêm até mim e dizem: 'Oh, meu sonho era competir com você'. Mas sou apenas eu. Eu sou apenas uma garota que adora estar na pista", declarou. "E eles pensam que podem ser como eu. Se eu puder inspirar as meninas a melhorar, teremos um padrão mais alto de eventos combinados no Brasil. "

Foto: Jonne Roriz/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário