Japão terá nova liga de futebol feminino a partir de 2021, a WE League - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Japão terá nova liga de futebol feminino a partir de 2021, a WE League

Compartilhe

A Associação Japonesa de Futebol (JFA) anunciou nesta quarta-feira (03) planos de realizar uma nova competição nacional de clubes femininos a partir do próximo ano, a WE League. Suas iniciais "WE" são um acrônimo da expressão inglesa "Women's Empowerment", ou Empoderamento das Mulheres na tradução.

De acordo com a entidade, a intenção é realizar a competição em paralelo com a temporada europeia, tendo a primeira edição iniciada em setembro de 2021, com encerramento previsto para maio de 2022. A princípio, deverão disputar de seis a dez equipes e os participantes serão anunciados nos próximos meses. A JFA confirmou que não haverá rebaixamento nas primeiras edições, mas haverá promoção das divisões inferiores.

A Liga Nadeshiko, hoje principal liga japonesa de futebol feminino, se tornará a segunda divisão nacional, cedendo lugar para a WE League. A ideia é profissionalizar o futebol feminino japonês, uma vez que a atual competição é amadora. Em seu formato tradicional, a temporada da Nadeshiko dura de março a outubro.

"O objetivo do lançamento da nova liga não é apenas o desenvolvimento do futebol feminino no Japão", disse o presidente da JFA, Kozo Tashima, em comunicado. "Nosso objetivo é contribuir para a construção de uma sociedade sustentável, promovendo a participação social feminina e melhorando as diversidades e escolhas".

"Como contribuímos com a sociedade através do esporte, é uma missão importante para todos nós no mundo do esporte", acrescentou. "Vamos trabalhar para estabelecer a trajetória do futebol profissional feminino, que é o sonho de muitas meninas, e promover ainda mais o empoderamento das mulheres e resolver problemas sociais".

Além do grande avanço no âmbito esportivo, as mulheres também ganharão espaço nos principais cargos dos clubes. A JFA exigiu que cada clube tenha ao menos uma mulher no executivo, com a representatividade feminina presente em pelo menos metade do total de funcionários dentro do período de três anos.

Vale destacar que o Japão é um dos países candidatos a sediar a próxima edição da Copa do Mundo Feminina, em 2023, juntamente com Brasil, Colômbia e uma candidatura conjunta entre Austrália e Nova Zelândia. A FIFA divulgará o vencedor em 25 de junho.

Foto: Stephane Mahe/REUTERS

Nenhum comentário:

Postar um comentário