Com início em julho, WNBA planeja temporada com formato reduzido na Flórida - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Com início em julho, WNBA planeja temporada com formato reduzido na Flórida

Compartilhe

WNBA, liga norte-americana de basquete feminino, anunciou nesta segunda-feira (15) que está planejando iniciar sua temporada no final de julho, após dois meses de atraso causado pela pandemia do coronavírus. A ideia é realizar uma competição reduzida, com 22 jogos para cada equipe na temporada regular, em um único local, Bradenton, na Florida, e sem a presença de público.

Os organizadores ainda estão acertando os detalhes finais da parceria com a IMG Academy, um complexo esportivo localizado na Flórida, para que o local seja a casa das 12 equipes da liga pelo resto do ano. Além dos jogos, a estrutura deverá receber os treinamentos de todos os times. 

Segundo os planos inciais da WNBA, as equipes deverão se dirigir ao estado do sudeste norte-americano já no começo de julho para dar início aos treinamentos, com a temporada sendo iniciada no final do mês. É possível que as equipes fiquem de 14 a 21 dias de quarentena ao chegarem em solo floridense, mas isso só será definido, de fato, com os protocolos de segurança que ainda estão sendo estabelecidos. 

"Estamos finalizando um plano de início de temporada para aproveitar o tremendo momento gerado na liga durante a entressafra e usamos os princípios orientadores de saúde e segurança dos jogadores e equipe essencial para estabelecer protocolos necessários e extensos", disse Cathy Engelbert, comissária da WNBA, em comunicado divulgado pela liga.

Apesar da redução na temporada regular (em condições normais, cada time joga 34 partidas), os play-offs não sofrerão modificações. Os oito primeiros colocados na classificação geral avançarão ao mata-mata, com o líder e o vice entrando nas semifinais, enquanto o terceiro e o quarto jogam a partir das "quartas de final". Os outros quatro times classificados disputarão um primeiro jogo eliminatório. A fase final deve começar no meio de setembro e terminar em outubro, de acordo com a Associated Press.

Outro ponto importante para o início da liga é que a WNBA se comprometerá a apoiar as jogadoras que defenderem suas causas sociais, como o empoderamento feminino e o fim da discriminação racial. A temporada de 2020 contará com uma plataforma dedicada a isto, liderada pelas próprias atletas, com o objetivo de impulsionar suas lutas por questões sociais.

“Em nossas discussões com a liga, enfatizamos e eles concordaram que um forte compromisso com a temporada 2020 dará à WNBA a chance de mostrar ao mundo que está dando os passos necessários para garantir nosso sustento e bem-estar, além de fornecer a oportunidade de ampliar nossa voz coletiva", disse Nneka Ogwumike, presidente da Associação de Jogadoras da NWBA.

A única brasileira da WNBA é Damiris Dantas, jogadora do Minnesota Lyns. Na última temporada, a equipe foi eliminada na primeira fase dos play-offs. Damiris jogou 26 partidas e teve uma média de 25,6 pontos por jogo na temporada regular. Pela seleção brasileira, ela foi campeã dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

A WNBA segue o mesmo caminho de outras duas grandes ligas americanas, a NBA, de basquete masculino, e a NWSL, de futebol feminino, ao programar seu retorno com um formato reduzido e com disputas em uma única sede. A NBA será disputada a partir de julho, no complexo da Disney, também na Flórida, enquanto a NWSL organizará a Challenge Cup, em Utah, com início em 27 de junho.

Foto: SkySports

Nenhum comentário:

Postar um comentário