China deseja retomar hegemonia do badminton feminino a partir das Olimpíadas de Tóquio - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

China deseja retomar hegemonia do badminton feminino a partir das Olimpíadas de Tóquio

Compartilhe

Foram quatro Jogos Olímpicos de domínio chinês no badminton feminino, até que nas Olimpíadas do Rio 2016, nenhuma chinesa chegou ao pódio, formado pela espanhola Carolina Marín, a indiana P.V. Sindhu e a japonesa Nozomi Okuhara. Por tudo isso, agora o ouro olímpico tornou-se prioridade para Luo Yigang, treinador da seleção nacional da modalidade. 

Mesmo com essa "necessidade" de reconquistar o topo, Luo aponta em entrevista à agência de notícias Xinhua, que a atual campeã olímpica Marín, a vice- campeã P.V. Sindhu e a atual número 1 do mundo, Tai Tzu-ying, de Taipei Chinês, são as favoritas ao pódio nas Olimpíadas de Tóquio, em 2021. 

"Tai é um jogadora poderosa que joga de forma muito agressiva", disse Luo. "Ela é uma das maiores candidatas à medalha de ouro em Tóquio. Outras jogadoras como a espanhola Carolina Marín, Sindhu da Índia e a japonesa Akane Yamaguchi e Nozomi Okuhara também são muito competitivas". 

Atual número 2 do mundo, a chinesa Chen Yufei é a maior esperança chinesa para Tóquio, de acordo com Luo. "Chen ganhou sete títulos da turnê mundial em 2019, incluindo as finais em dezembro e o All England Open em março. Ela se tornou uma jogadora mais experiente, depois de performances constantes durante todo o ano", declarou.

"Eu tenho que dizer que o torneio será altamente competitivo em Tóquio. Cada jogadora do top 10 tem chance de ganhar o título", ressaltou Luo. 

Foto: VCG Photo

Nenhum comentário:

Postar um comentário