Adam Peaty se junta à campanha pela reabertura das piscinas no Reino Unido: "São importantes para a saúde" - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Adam Peaty se junta à campanha pela reabertura das piscinas no Reino Unido: "São importantes para a saúde"

Compartilhe

Na última terça-feira (23), o primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou o relaxamento de uma série de medidas restritivas adotadas durante a pandemia, com bares, restaurantes, hotéis e cabeleireiros podendo voltar a funcionar na Inglaterra a partir de 4 de julho. No entanto, o governo não estabeleceu um cronograma para a reabertura de instalações esportivas indoor, como academias e piscinas públicas, provocando críticas de dirigentes e de atletas, como do fenômeno da natação Adam Peaty.

Peaty – atual recordista e bicampeão mundial dos 50 e 100 metros peito, além de ouro nos 100m peito nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016 – questionou a atitude de Johnson por meio de postagem veiculada em seu Twitter, logo após o decreto do primeiro-ministro. O nadador pediu explicações pelo porquê das piscinas estarem entre os últimos locais a serem reabertos e utilizou a hashtag #OpenOurPools ("abram nossas piscinas", em inglês), promovida pela Federação Inglesa de Natação (Swim England).


Surte +: Tênis profissional é retomado no Reino Unido sem público e obedecendo normas de segurança

Em entrevista à emissora britânica BBC na quarta-feira (24), o atleta comentou sobre o caso, defendendo que as instalações esportivas, em especial as piscinas, são importantes para a saúde da população e que deveriam ser reabertas o quanto antes.

"As pessoas vão falar sobre o quanto os bares trazem [para a economia] em termos de impostos, mas você também precisa pensar nos benefícios à saúde que a natação oferece", afirmou Adam Peaty. "Com o aumento da preocupação com a saúde mental, estamos em uma posição perigosa e existe o risco de que, se os bares estiverem abertos, mas não for possível a prática de exercícios, as pessoas escolherão o pub todos os dias e não terão equilíbrio".

Peaty está entre um pequeno grupo de nadadores britânicos de elite que foram autorizados a retornar aos treinamentos nas piscinas nas últimas duas semanas, pensando na preparação para os Jogos Olímpicos, remarcados para o próximo ano.

"Temos nossa temperatura verificada na chegada, usamos máscaras, estou nadando na minha própria raia", explicou. "Se você usar esses procedimentos simples em centros de lazer, não vejo motivo para que eles ainda estejam fechados."

A opinião do atleta é compartilhada pelo chefe executivo da natação inglesa, Jane Nickerson. O dirigente destacou a importância da natação para as pessoas que dependem dela como fonte de renda e de qualidade de vida.

"Ao ignorar o setor de natação, o governo decepcionou milhões que dependem de estar na água", disse Nickerson. "Muitos deixarão de entender como bares, restaurantes, cinemas, museus e salões de beleza estão autorizados a abrir em 4 de julho, mas não piscinas cheias de cloro. Eu compartilho suas frustrações e exijo que o governo reconsidere apressadamente essa decisão de ignorar o que é uma tábua de salvação para muitos".



A não-reabertura das instalações esportivas não afetou somente a natação, mas também outras modalidades. O chefe executivo da Federação de Badminton da Inglaterra, Adrian Christy, considerou a decisão um "mistério", enquanto a Federação Britânica de Ginástica afirmou que o governo estava "decepcionando maciçamente a comunidade esportiva".

De acordo com a BBC, existe uma preocupação governamental de que a transmissão do Covid-19 será mais difícil de controlar em instalações esportivas fechadas, devido ao fato de que o distanciamento social geralmente é mais difícil nesses locais. O presidente da Sport England, entidade que promove o esporte e o lazer na Inglaterra, Nick Bitel, disse estar "desapontado" com o atraso na reabertura das instalações, mas que a organização continuará a trabalhar com o governo para garantir que a data de retorno seja decidida.

"Entendemos que escolhas difíceis precisam ser feitas à medida que o país sai do confinamento e, embora seja decepcionante para o setor que não tenha sido dada uma data específica para a reabertura das instalações hoje, continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com o governo para garantir isso aconteça o mais rápido possível, idealmente nas próximas semanas, uma ambição que sabemos ser compartilhada pelo governo", afirmou.

O secretário de Estado de Cultura, Mídia e Esporte do Reino Unido, Oliver Dowden, revelou em seu Twitter a possibilidade de reabertura das instalações esportivas no país no mês que vem.

"Muitas pessoas estão ansiosas para ir à academia, e manter a Grã-Bretanha em forma é a chave na batalha contra os coronavírus", disse ele. "Fizemos muito progresso e sei que as empresas tomaram medidas para tornar seus espaços e equipamentos seguros. Sujeito à saúde pública, nossa aspiração é reabrir academias e instalações de lazer em meados de julho"


Surto +: Rússia divulga proposta de calendário para retorno das competições de natação no país; Itália indica possível volta para agosto

Foto: Rafael/Domeyko Photography/ via Swimswam

Nenhum comentário:

Postar um comentário