SurtoLista: As cinco mascotes mais legais dos Jogos Olímpicos - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

SurtoLista: As cinco mascotes mais legais dos Jogos Olímpicos

Compartilhe

Depois de trazer o top 5 dos melhores temas olímpicos, o Surto traz agora as cinco melhores mascotes da história dos Jogos Olímpicos.

Desde 1972, cada edição de Jogos Olímpicos tem a sua mascote para vender bonecos e merchandising. Algumas são um tremendo sucesso, outras são um fracasso retumbante. E neste post traremos as mais bacanas após votação entre os membros do site.

Sistema de votação: cada um dos membros fez a sua lista de top 5 e as 5 mascotes mais votadas entre todos estão no post.

Votantes: Bruno Guedes, Daniel Barbosa, Lucas Bueno, Marcos Antônio, Mateus Nagime, Patryck Leal, Regys Silva e Wesley Felix.

1 - MISHA (Moscou 1980) - 8 votos - Desempate mais primeiras colocações
Misha foi criado pelo ilustrador de livros infantis Victor Chizhikov. O ursinho russo foi a primeira mascote de um evento esportivo a conseguir um sucesso comercial em larga escala. O boneco Misha foi extensivamente usado nas cerimônias de abertura e encerramento. O personagem também teve uma série de desenho animado e apareceu em vários produtos de merchandising, o que abriu uma nova era de produtos licenciados com mascotes, tanto nas Olimpíadas quanto na Copa do Mundo.

Misha surgiu em 1977, quando o comitê organizador dos Jogos fez um concurso para escolher a melhor ilustração. Os juízes escolheram a ilustração de Chizhikov, que mostrava um urso sorridente usando um cinto nas cores dos anéis olímpicos e uma fivela com os cinco anéis. Misha foi confirmado como mascote em 19 de dezembro de 1977. O mascote tinha até nome completo: Mikhail Potapitch Toptygin.

A mais famosa cena de Misha é a da lágrima escorrendo do olho durante a cerimônia de encerramento dos Jogos. O ursinho apareceu em movimentos produzidos por um enorme mosaico de coreógrafos carregando placas coloridas, que eram levantadas e abaixadas seguindo um movimento perfeitamente sincronizado pelas pessoas nas arquibancadas do estádio. Em 1988, em comemoração aos 60 anos de Mickey Mouse, a Disney produziu uma revista especial onde os dois personagens se conheceram.

2 - VINICIUS (Rio 2016) - 8 votos
O concurso para a criação do mascote dos Jogos do Rio foi lançado em novembro de 2012, destinado a empresas e profissionais nas áreas de design, animação e ilustração brasileiras. Grandes empresas do país participaram, e depois de várias fases de seleção, um júri multidisciplinar escolheu por unanimidade, em agosto de 2013, o projeto final da Birdo Produções.

As mascotes olímpica e paralímpica foram reveladas simultaneamente para o público em 23 de novembro de 2014 e tiveram teve seus nomes escolhidos por meio de uma votação popular.

Vinícius, nome que remete ao poeta e compositor brasileiro Vinícius de Morais, foi escolhido  para batizar o mascote das olimpíadas com 44% dos votos no fim da votação, em 14 de dezembro de 2014

Vinicius é uma mistura de diferentes animais brasileiros e representa a fauna silvestre brasileira, transportando principalmente traços dos mamíferos: A agilidade de gatos, balanço dos macacos e a graça das aves. Ele pode esticar seus braços e pernas o quanto quiser. 

Seu projeto tem inspiração na cultura pop, bem como jogos de vídeo game e desenhos animados. Ao lado de seu colega Paralímpico, Tom - nome inspirado no cantor e compositor Tom Jobim - Vinicius representa a diversidade do povo brasileiro e da cultura, bem como à sua natureza exuberante. Segundo a história criada para eles, ambos foram criados a partir da alegria dos brasileiros depois que foi anunciado que o Rio seria sede dos Jogos Olímpicos.

Uma série de desenho animado foi criada na época pelo canal Cartoon Network com as duas mascotes.


3 - HODORI (Seul 1988) - 6 votos
A escolha para os mascotes de Seul começou em 1982, quando o Comitê Organizador dos Jogos (SLOOC) deu início a um concurso. Ainda em 1982, um coelho, um tigre, um esquilo e um par de patos mandarins foram selecionados para disputar o posto de mascote dos Jogos de Seul 1988.

Em dezembro do mesmo ano, foram escolhidos o tigre e o coelho, e, finalmente, em Dezembro de 1983, o tigre foi escolhido. O Comitê Organizador disse que escolheu o tigre pela sua popularidade na cultura coreana e porque a imagem do animal que simboliza o vigor, nobreza e o espirito forte dos coreanos.

Em Julho de 1983, foi finalmente acordado o design final do mascote Olímpico, desenhado por Hyun Kim. Como detalhe final, ele usava um tradicional chapéu coreano (o sangmo) com uma fita saindo do dele em forma de "S", que fazia alusão à primeira letra do nome da cidade.

Para a escolha do nome da mascote, o Comitê Organizador de Seul oferecer um prêmio em dinheiro em um concurso que começou em 1º de Dezembro de 1983 e teve a duração de um mês. O concurso contou com 6.117 participantes.

Os critérios estabelecidos pelo SLOOC para a escolha do nome foram: sugerir algo amigável com um toque coreano, deveria ser fácil de lembrar e de pronunciar e ser internacionalmente lembrado. Finalmente, em Abril de 1984, o nome da mascote foi escolhido: Hodori. 'Ho' é um derivado da palavra coreana Tigre (Horangi) e 'Dori' ´é o diminutivo de menino em coreano.

Chegou-se a criar uma tigre fêmea chamada 'Hosuni', mas ela foi usada pouquíssimas vezes.

4 - SYD, OLLY e MILLIE (Sidney 2000) - 3 votos - Desempate - Uma 1ª colocação
Pela primeira vez na história Olímpica mais de uma mascote foi criada para representar uma edição de Jogos Olímpicos. Olly, Syd e Millie, criadas por Matthew Hatton, foram os três animais nativos da fauna australiana escolhidos para serem mascotes dos Jogos de Sydney, em 2000.

A escolha das mascotes foi baseada em uma pesquisa na Austrália e em outros países da região. O objetivo do Comitê Organizador era evitar cangurus ou coalas como mascotes, por serem animais muito conhecidos, o que poderia fazer a escolha cair no clichê.

As mascotes representam terra, água e ar. Olly (do nome Olimpíada), a kookaburra, representa o espírito olímpico da generosidade. Syd (do nome Sydney), o ornitorrinco, representa o meio ambiente, o vigor e a energia da Austrália e seu povo. Millie (do nome Milênio), a equidna, é um gênio da tecnologia e guru da informática, com todos os fatos e informações nas pontas dos seus dedos.

A kookaburra e o ornitorrinco fazem parte dos símbolos do estado australiano de Nova Gales do Sul, da qual Sydney é a capital.


5 - COBI (Barcelona 1992) - 3 votos
Para escolher a mascote dos Jogos de Barcelona os organizadores realizaram um concurso com seis desenhistas: Fernando Amat, Angel Beaumont, Francesc Capdevila, Javier Mariscal, Francesc Petit e Pere Torrent "Peret". O mesmo juri que escolheu o emblema Olímpico examinou as diferentes propostas para a mascote.

Em 29 de Janeiro de 1988 foi escolhida a mascote criada por Javier Mariscal, que consistia na imagem de um humano com cara de cachorro da raça pastor catalão, com braços abertos, desenhado de uma forma que ele parece ser um personagem de forma "achatada", nada lembrando o estilo "Disney" de seus antecessores. Mariscal se inspirou na interpretação de Picasso da obra 'Las Meninas" de Velásquez para criar o mascote.

Para fazer a mascote mais aceitável ao público, os traços do personagem foram suavizados. Uma vez terminada a mascote, foi hora de batizá-la. O nome escolhido foi Cobi, que lembrava o nome do Comitê Organizador dos Jogos (COOB), fácil de ser lembrado e pronunciado nas mais diversas línguas.

A forma da mascote foi gradualmente modificada até a sua definitiva apresentação ao público como o segundo símbolo dos Jogos de 1992. Cobi foi um sucesso de vendas, com diversos produtos dele sendo vendidos em larga escala. O mascote, inclusive, teve uma série de desenho animado, que no Brasil foi chamado de 'Cobi e sua turma' e passou na TV Cultura. Cobi acabou sendo, junto com Misha, um dos mascotes mais populares da história dos Jogos Olímpicos.

Menção honrosa
Tirando os três primeiros, as duas vagas restantes no top 5 foram disputadas a tapa. As mascotes de 2000 e 1992 entraram com melhores colocações na lista de cada um dos integrantes do site (Sidney com uma primeira colocação e Barcelona com duas segundas posições). Athena (Atenas 2004) e Fuwa (Pequim 2008) também somaram três votos, mas com posições piores que as rivais e por isso ficaram fora da lista final.

Fotos: Reprodução/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário