Presidente do Comitê Olímpico da Rússia critica ações da WADA contra Agência Russa de Anti-Doping - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Presidente do Comitê Olímpico da Rússia critica ações da WADA contra Agência Russa de Anti-Doping

Compartilhe

O presidente do Comitê Olímpico Russo, Stanislav Pozdynakov, fez críticas à Agência Mundial Antidoping (WADA), afirmando que a entidade tem agido simultaneamente como "investigadora, promotora e julgadora" nos processos contra a Agência Russa Antidopagem (RUSADA), conforme relatado pela TASS, agência oficial de notícias estatais da Rússia.

Pozdynakov acusou a WADA de tentar punir a todo custo a RUSADA em conexão com os muitos casos russos de doping. "Em um fluxo constante de tentativas de punir a RUSADA, vemos um desejo persistente de nossos colegas do corpo governante internacional [WADA] de assumir o direito de ser um investigador, promotor e punidor ao mesmo tempo", disse o presidente.

Pozdynakov afirmou que fez o comentário acima em referência a uma possível declaração do ex-presidente do Comitê de Revisão Disciplinar da WADA, Jonathan Taylor. O presidente alegou que Taylor teria dito que "pretendia humilhar atletas russos".

"Tudo sobre o que estamos falando continuou por vários anos, mas nós, povo da Rússia, permanecemos pacientes e corajosos, superando todas as dificuldades", adicionou Pozdynakov.

A relação conturbada entre a WADA e a RUSADA está ligada à suposta manipulação de dados encontrados em um laboratório de Moscou, relacionados a arquivos de 145 atletas de um grupo de 298, todos alvo de uma investigação contra doping em andamento dentro da Operação LIMS. Uma audiência sobre o caso foi adiada pela pandemia de coronavírus, mas a WADA espera que seja realizada em julho.

Entre as sanções impostas pela WADA, há uma proibição de participação de atletas com a bandeira russa em Jogos Olímpicos ou Campeonatos Mundiais pelos próximos quatro anos. A Rússia também foi impedida de concorrer como candidata à sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2032 e deve perder os direitos de receber qualquer evento anteriormente concedido se o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS decidir em favor da WADA.

Procurada pelo site especializado insidethegames, a WADA se posicinou, dizendo confiar “na robustez e na independência de seus processos”.

"No caso da RUSADA, tanto o Comitê de Revisão Disciplinar quanto o Comitê Executivo foram unânimes. No fim das contas, é o TAS que decide, não a WADA, o que adiciona outra camada de independência ao processo", completou a entidade.

Foto: Reprodução/Twitter: @EOCmedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário