Presidente da Associação Chinesa de Basquete analisa momento das equipes do país a quatorze meses dos Jogos Olímpicos - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Presidente da Associação Chinesa de Basquete analisa momento das equipes do país a quatorze meses dos Jogos Olímpicos

Compartilhe


As seleções de basquete da China vivenciam momentos diferentes na atual temporada. Enquanto a equipe feminina se classificou para os Jogos Olímpicos sem grandes dificudades, o time masculino não conseguiu a vaga pela Copa do Mundo e terá uma última chance de disputá-la, em um acirrado Pré-Olímpico Mundial no ano que vem.

O presidente da Associação Chinesa de Basquete (CBA), Yao Ming, comentou sobre as diferentes fases das seleções do país em entrevista à emissora chinesa CCTV. Segundo Yao, a equipe masculina está “ficando para trás das principais equipes do mundo, mas esperamos mostrar a todos nossas expectativas para o futuro”.

O time masculino da China participou dos últimos nove Jogos Olímpicos e buscava a décima participação consecutiva durante a disputa da Copa do Mundo de Basquete de 2019, realizada justamente em solo chinês. A equipe da casa, porém, decepcionou a torcida, caindo na Primeira Fase e terminando atrás do Irã, melhor seleção asiática do torneio e que acabou ficando com a vaga direta.

Com a campanha decepcionante, a China só se garantiu no Pré-Olímpico Mundial por ter sido convidada. Após o sorteio, a seleção foi incluída na chave de Victoria, no Canadá, junto com Grécia, República Tcheca, Turquia e Uruguai, além dos anfitriões canadenses. Esse grupo dificulta as pretensões chinesas, pois grande parte desses países têm times mais consistentes e ocupam uma posição mais alta no Ranking Mundial.

Já a seleção feminina conquistou a vaga vencendo os três jogos de seu grupo no Pré-Olímpico, contra Espanha, Coreia do Sul e Grã-Bretanha, em fevereiro deste ano. A equipe, porém, enfrentou uma outra dificuldade: a troca de sedes às vésperas da competição. Inicialmente, o torneio seria disputado em território chinês, mas a epidemia de coronavírus, que na época se alastrava pelo país, fez com que houvesse uma mudança de última hora para a cidade de Belgrado, na Sérvia.

“Fiquei muito triste, porque a cidade de Foshan, em Guangdong, fez muitos preparativos para receber todas as equipes participantes”, contou Yao na entrevista. “No final, o resultado acabou sendo satisfatório, porque obtivemos a qualificação olímpica. O sucesso veio de todo o árduo trabalho diário acumulado".

O presidente da CBA também deu detalhes sobre a preparação das seleções daqui em diante, tanto para o Pré-Olímpico, no caso dos homens, quanto para os Jogos Olímpicos, no caso das mulheres.

"Preparamos uma lista de quase 30 jogadores para equipes masculinas e femininas, e os elencos finais com 12 atletas serão formados a partir dessa lista", disse Yao. "Isso inclui os melhores jogadores das ligas masculinas e femininas de basquete e, claro, novas estrelas em ascensão. Estamos à procura de jogadores mais talentosos para nos tornarmos mais resistentes aos riscos ".

Yao Ming, porém, admitiu que a pandemia de COVID-19 pode prejudicar o treinamento das equipes, influenciando no planejamento de jogos e em outras atividades.

"Não existe ainda um plano de treinamento, porque estamos no estágio de combate à epidemia. Devido à proibição internacional de viagens, jogar contra equipes estrangeiras de alto nível é quase impossível. Mas, de acordo com o calendário, haverá um período de janela para as eliminatórias da Copa da Ásia em novembro. Vamos montar as equipes para esse momento e garantir que elas estejam prontas para isso".

Foto: FIBA/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário