Matteo Berrettini: "Não é tarefa dos jogadores sustentar outros jogadores" - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Matteo Berrettini: "Não é tarefa dos jogadores sustentar outros jogadores"

Compartilhe

Atual número 8 no ranking mundial da ATP, o tenista italiano Matteo Berrettini opinou em relação a polêmica sugestão de Novak Djokovic sobre a criação de um fundo de auxílio à tenistas de ranking inferior, com dinheiro arrecadado do bolso de cada atleta do top-100. Para o italiano, não é função de um atleta ajudar financeiramente outros atletas.

"Levei um momento para refletir sobre minhas prioridades, não por falta de respeito com outros jogadores, mas acredito que nenhum atleta, em qualquer tipo de esporte deve ser colocado em posição de ajudar outro jogador financeiramente", disparou Berrettini ao programa da Eurosport Itália, Call-azione show. "Acho que esse trabalho deve ser atribuído às federações, à ITF, WTA, ATP, são eles que fazem os torneios acontecerem e nós jogadores os pagamos com nossas performances".

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), a Associação de Tênis Feminino (WTA) e os quatro Grand Slams criaram um fundo para beneficiar atletas que dependem do ganho de premiações dos torneios para se sustentar financeiramente. Além disso a Federação Internacional de Tênis (ITF) está desenvolvendo um programa de auxílio específico para tenistas entre as posições 501 e 700 no ranking mundial. 

"Precisamos investir dinheiro de uma maneira diferente para ajudar jogadores de baixa classificação", afirmou Berrettini. “Pessoalmente, prefiro ajudar outras causas mais específicas. Falei com Djokovic e ele me disse 'não se preocupe Matteo, a doação não é obrigatória. É algo em que você pode concordar, se quiser. Se você prefere comprar máscaras para hospitais como Spallanzani ou ajudar famílias necessitadas, eu respeito você'. Essa é uma mensagem importante, que deve se espalhar para fora do círculo de jogadores", revelou Berrettini. 

Recentemente o tenista austríaco Dominic Thiem, atual número 3 do mundo, posicionou-se contra a doação dos tenistas para um fundo de assistência à outros jogadores, alegando que "nenhum dos atletas de ranking mais baixo está necessariamente lutando por suas vidas". 

Já a tenista argelina Ines Ibbou, número 620 no ranking da WTA, teceu críticas enfáticas ao posicionamento de Thiem, dizendo que o mundo de top-5 não é o mesmo do mundo de tenistas com ranking baixo. 

"Caro Dominic, diferentemente de você, muitos compartilham minha realidade. Apenas um lembrete, não é graças ao seu dinheiro que sobrevivemos até agora e ninguém lhe pediu nada. A iniciativa veio de jogadores generosos que imediatamente demonstraram compaixão, com a classe", apontou Ibbou durante um vídeo em que contava um pouco sobre sua realidade.

 Foto: Reprodução/US Open

Nenhum comentário:

Postar um comentário