Surto Recapitula: Como está o ciclo olímpico do Vôlei - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto Recapitula: Como está o ciclo olímpico do Vôlei

Compartilhe

O ciclo olímpico do vôlei masculino começou com a última edição da Liga Mundial de Vôlei em 2017, a primeira competição do então novo técnico da Seleção Brasileira, Renan Dal Zotto, que substituía o Bernardinho. A fase final foi no Estádio da Arena da Baixada, em Curitiba, que foi adaptado para o evento. Na decisão do título, a França frustrou os cerca de 23 mil torcedores presentes ao derrotar o Brasil e ficar com o título.

A partir do ano seguinte, a competição passou a se chamar Liga das Nações, em que a Rússia venceu as duas primeiras edições, derrotando as seleções que sediaram a fase final. Em 2018 superou a França, em Lille, e no ano seguinte bateu os Estados Unidos em Chicago. O Brasil ficou em quarto lugar em ambas as edições.

O Mundial de Vôlei Masculino em 2018 foi o primeiro na história com dois países-sede: Itália e Bulgária. Assim como na edição de 2014, Polônia e Brasil fizeram a decisão, com os poloneses levando novamente a melhor.

Em maio de 2019, Renan Dal Zotto convocava pela primeira vez o ponteiro Yoandy Leal, o primeiro jogador naturalizado na história da seleção brasileira. Ele, que atuou pela seleção de Cuba até 2010, se naturalizou no fim de 2015. Dois anos depois, a CBV enviou toda a documentação necessária para que a FIVB liberasse o jogador para defender uma nova seleção. A partir dali, Leal teve que esperar um período de dois anos de carência para que pudesse defender uma nova seleção.

Sua primeira competição foi a Liga das Nações, mas foi no Pré-Olímpico em que ele se destacou e foi decisivo para a classificação do Brasil. Em Varna (BUL), a Seleção Brasileira perdia para a Bulgária por 2 sets a 0, mas Leal comandou a virada brasileira para 3 a 2, marcando 22 pontos e sendo o grande herói da classificação.


O Grand Prix de Vôlei chegou ao fim também em 2017. O técnico José Roberto Guimarães ensaiava ali uma renovação visando os Jogos Olímpicos de Tóquio. Na decisão do torneio, o Brasil derrotou a Itália fechando a competição com 12 títulos.

A partir de 2018, a principal competição anual também passou a se chamar Liga das Nações, com a seleção dos Estados Unidos vencendo as duas primeiras edições. As americanas derrotaram a Turquia em 2018 e no ano seguinte bateram a Seleção Brasileira.

O Mundial de 2018, disputado no Japão, foi muito difícil e ruim para o Brasil. Com muitas jogadoras machucadas e outras voltando de lesão, a seleção terminou apenas em 7° lugar, pior colocação desde 2002. O Mundial foi vencido pela Sérvia, que derrotou a Itália na final.

No ano seguinte, Zé Roberto continuava tendo muitos problemas para montar a equipe. Dessa vez, ele contou com inúmeras dispensas de jogadoras por motivos variados. Mesmo assim, o Brasil conseguiu ser vice-campeão da Liga das Nações. No Pré-Olímpico, disputado em Uberlândia, a seleção teve jogos dramáticos contra Azerbaijão e República Dominicana, mas conseguiu a vaga olímpica.
Grupos da Olimpíada definidos:

O vôlei é um dos poucos esportes coletivos com todos os classificados nos dois gêneros e com grupos já definidos:

Masculino:
Grupo A - Japão, Polônia, Itália, Canadá, Irã e Venezuela
Grupo B - Brasil, Estados Unidos, Rússia, França, Argentina e Tunísia

Feminino:
Grupo A - Japão, Sérvia, Brasil, Coreia do Sul, República Dominicana e Quênia
Grupo B - China, Estados Unidos, Rússia, Itália, Turquia e Argentina

Fotos: Divulgação/FIVB

Um comentário: