Federação Japonesa de Judô tem 17 membros infectados pelo coronavírus - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Federação Japonesa de Judô tem 17 membros infectados pelo coronavírus

Compartilhe

Uma das entidades mais tradicionais do esporte olímpico japonês está sentindo de forma direta os efeitos da pandemia de Covid-19. Sem adotar medidas de isolamento social durante o início do mês de abril, a Federação Japonesa de Judô (AJJF) chegou à marca de 17 membros com testes positivos para o coronavírus neste final de semana.

Entre os infectados, está o diretor administrativo da entidade, Soya Nakazato. O dirigente testou positivo na última segunda-feira, 13, e foi o nono caso confirmado dentro da federação. Em uma semana, o número de infecções praticamente dobrou dentro da federação. 

Dos 17 casos confirmados, cinco são mulheres e 12 são homens, de acordo com a agência de notícias chinesa Xinhua. Apenas uma pessoa testou negativo dentre as que apresentaram sintomas.

O presidente da AJJF, Yasuhiro Yamashita, campeão olímpico em Los Angeles-1984, comunicou que os 38 funcionários da federação só tiveram contato com a primeira pessoa infectada depois de 1º de abril. A primeira confirmação da doença se deu três dias depois, em 4 de abril.

O número de casos de Covid-19 dentro da federação poderá aumentar ainda mais, uma vez que outras seis pessoas também sentiram sintomas da Covid-19 nas últimas semanas, mas ainda não realizaram o teste PCR ou aguardam resultados deste para confirmar a presença do vírus no organismo.


Coronavírus no Japão

A pandemia do coronavírus no Japão tem se intensificado nos últimos dias. O país ultrapassou a marca dos 11 mil infectados e já tem mais de 230 mortos pelo vírus. Tóquio é o epicentro, com cerca de um terço do total de casos.

As medidas de contenção, no entanto, foram tomadas de forma tardia pelo governo japonês, quando o surto já estava instaurado no território. O estado de emergência, que permite o fechamento de serviços não essenciais e diminui o fluxo de pessoas nas ruas, só foi alargado para todo o país em 16 de abril, exatos 2 meses após a confirmação do primeiro caso no Japão.

Até mesmo a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no próximo ano, tem sido motivo de dúvidas. Especialistas já disseram que organizar o megaevento pode ser "irreal" sem que uma vacina seja encontrada até julho de 2021.

Foto: Kyodo News

Nenhum comentário:

Postar um comentário