Com 50 anos de idade, marchador espanhol adia aposentadoria e vai em busca de sua oitava Olimpíada em 2021 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Com 50 anos de idade, marchador espanhol adia aposentadoria e vai em busca de sua oitava Olimpíada em 2021

Compartilhe

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021 não foi capaz de atrapalhar os planos de Jesús Ángel García. Com 50 anos de idade, o marchador espanhol confirmou nesta semana que irá atrás de sua oitava Olimpíada na carreira, mesmo tendo que alongar sua carreira em mais um ano. Ele quer se isolar no posto de atleta com mais participações olímpicas no atletismo.

"Continuarei lutando para poder me aposentar após Tóquio, não quero que o coronavírus me force a tecer esse ponto final", disse o atleta, que terá 51 anos no ano que vem, ao Mundo Deportivo. 

Campeão mundial em 1993, Chuso, como é conhecido, compete nos 50km da marcha atlética em Olimpíadas desde Barcelona-1992. Seus melhores resultados foram em Atenas-2004 e em Pequim-2008, quando conseguiu o Diploma Olímpico ao terminar em quinto e em quarto lugar, respectivamente.

Ele está empatado com a velocista Merlene Ottey, que representou a Jamaica e a Eslovênia nos Jogos, com sete participações olímpicas na lista dos mais longínquos do atletismo. Como Ottey já está aposentada, García tentará ser o detentor do recorde de único atleta do atletismo a ter oito aparições olímpicas no currículo após os Jogos de Tóquio.


Apesar de ainda não ter o índice, o espanhol hoje estaria classificado à Olimpíada pelo ranking, como 38º de 60 atletas.  Seu grande desafio sem o índice é manter-se como terceiro representante  de seu  país (apenas três atletas da mesma nacionalidade podem competir nas provas do atletismo).

Apenas seis ponto a frente do quarto espanhol melhor colocado no ranking, García tem se mostrado competitivo nos últimos tempos. Ele terminou em oitavo lugar no Campeonato Mundial de Doha, em 2019. "O bom desempenho em Doha em condições tão difíceis me faz sentir otimista antes dos Jogos Olímpicos", comentou ele.

Na Rio-2016, García terminou em 20º lugar. Além do ouro em 1993, o espanhol foi prata no Mundial em outras três oportunidades: 1997, 2001 e 2009. 

Prova olímpica desde 1932, é possível que o 50km da marcha atlética seja retirada do programa de Paris-2024. Responsável por confusões nos últimos anos, a prova é a única do atletismo que é disputada apenas para os homens e não tem um equivalente feminino nas Olimpíadas.

Foto: World Athletics


Nenhum comentário:

Postar um comentário