Surto História - Lis Hartel vencendo a poliomelite e fazendo história - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto História - Lis Hartel vencendo a poliomelite e fazendo história

Compartilhe



Lis Hartel já era uma amazona de renome na Dinamarca, onde tinha sido bicampeã nacional de hipismo adestramento, quando ficou doente em 1944, aos 23 anos . Era poliomelite e estando grávida, Hartel se viu paralisada em uma cama. Mas ela recusou o destino de ficar presa em uma cama para sempre e iniciou um rigoroso programa de fisioterapia.

Ela conseguiu recuperar o movimento dos braços e sua filha nasceu saudável e Hartel continuou a fazer fisioterapia e em seguida conseguiu o movimento parcial das pernas. Em 1947, voltou a competir em alto nível ignorando os conselhos médicos de que encerrasse sua carreira, mas precisando de ajuda para subir em seu cavalo. E na competição de adestramento, Hartel se destacava em um esporte em que o cavalo obedece sutis comandos das mãos e pernas do cavaleiro/amazona. 

Depois de um segundo lugar no campeonato escandinavo de adestramento, hartel recebeu a notícia de que ficaria paralisada dos joelhos para baixo e teria que receber ajuda para subir e descer do cavalo sempre que fosse competir, o que não desanimou Hartel.

Em 1952, finalmente os jogos olímpicos passaram a aceitar não somente oficiais de forças armadas, e civis, homens e mulheres, puderam competir. Hartel esteve em Helsinque, sendo uma das primeiras mulheres a competir contra homens em Jogos olímpicos.

Ela fez uma disputa emocionante Henri Saint Cyr (SWE), considerado um dos maiores cavaleiros do adestramento da época, sendo derrotada por menos de 20 pontos de diferença. Com a medalha de prata, Hartel se tornou a primeira mulher a ganhar uma medalha olímpica competindo contra homens. E o feito se torna ainda maior quando lembramos de que Hartel não tinha os movimentos abaixo do joelho. Era uma atleta paralímpica vencendo atletas olímpicos antes mesmo da criação dos jogos paralímpicos.

O confronto entre os dois foi tão intenso, que no pódio olímpico Saint Cyr fez questão de ajudar Hartel a subir no pódio, em demonstração de respeito a amazona que ficou marcado como um dos grandes momentos dos Jogos de Helsinque. 


Quatro anos depois, o duelo pelo ouro se repetiu em Estocolmo - as competições equestres dos Jogos de Melbourne tiveram que ser disputadas na capital sueca por conta das rigorosas leis de quarentena para cavalos da Austrália - e Saint Cyr venceu novamente, mas com a diferença para Hartel sendo de apenas 10 pontos. 

com duas pratas olímpicas, Liz Hartel se aposentou nos anos 60, passando a se dedicar a demonstrações com o seus cavalos para arrecada dinheiro para instituições que ajudavam pessoas com poliomelite, além de incentivar pessoas com deficiência física a praticarem esportes. 

Nos anos 90 Lis Hartel entrou para o Hall da fama da Dinamarca e em 2005, ela foi considerada uma das 10 maiores atletas da história da Dinamarca. Hartel faleceu em 2009, aos 87 anos

fotos: FEI

Nenhum comentário:

Postar um comentário