Parada das Nações: Canadá - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Parada das Nações: Canadá

Compartilhe

Sigla: CAN
Medalhas na história: Ouro 64 | Prata 102 | Bronze 136 | Total: 302
No Rio de Janeiro... Ouro 4 | Prata 3 | Bronze 15 | Total: 22

O Canadá participou pela primeira vez dos Jogos Olímpicos em Paris 1900. Desde então só ficou de fora das Olimpíadas de Moscou 1980. Quatro anos depois, com o boicote soviético, o país chegaria a sua melhor participação na história dos Jogos, com 10 ouros e um total de 44 medalhas.

Em Londres os canadenses deixaram a desejar. Com uma delegação com 51 atletas a menos do que em Pequim 2008, o Canadá obteve apenas um ouro entre as 18 medalhas conquistadas. Já no Rio de Janeiro, com 314 atletas, o país conquistou quatro ouros e 22 no total.

Esportes fortes:

Atletismo: É o esporte que mais rendeu medalhas para o Canadá em Jogos Olímpicos, sendo 14 de ouro e 60 no total. Phil Edwards é o maior medalhista, com cinco bronzes entre 1928 e 1936.

Remo: Esporte em que o Canadá é respeitado dentro do programa olímpico, o remo rendeu ao país nove ouros e 40 medalhas ao todo para o país. É dele os três principais nomes individuais canadenses em Jogos de Verão. Kathleen Heddle possui três ouros e um bronze, mesma marca de Marnie McBean.

Ginástica de Trampolim: É o esporte que rendeu o único ouro do Canadá em Londres 2012, com Rosannagh MacLennan. Desde que o esporte estreou no programa olímpico, em 2000, o país nunca deixou de figurar no pódio da modalidade.

Kathleen Heddle e Marnie McBean são as lendas dos esportes de verão canadenses
Destaques:

Penny Oleksiak (Natação): Campeã olímpica com apenas 16 anos quatro anos atrás, Oleksiak surpreendeu o mundo no Rio 2016. Com cinco bronzes nos mundiais seguintes, a canadense chega em Tóquio 2020 brigando por medalhas.

Andre De Grasse (Atletismo): Após a prata nos 200m  e o bronze nos 100m do Rio 2016, acreditava-se que De Grasse, então com 21 anos, passaria a dominar as provas de velocidade. Entretanto  contusões atrapalharam o velocista, que apenas em 2019 voltou ao alto nível, com uma prata e um bronze no Mundial em Doha e vai enfrentar os norte-americanos para ver quem será o sucessor de Usain Bolt.

Rosie MacLennan (Ginástica Trampolim): Bicampeã olímpica (2012 e 2016), a canadense foi campeã Mundial em 2017 e bronze em 2019, e vai tentar o tri no Japão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário