Faltando menos de 200 dias para Tóquio 2020, como o Brasil se prepara para os Jogos Paralímpicos - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Faltando menos de 200 dias para Tóquio 2020, como o Brasil se prepara para os Jogos Paralímpicos

Compartilhe

Faltando menos de 200 dias dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) projeta composição da delegação que disputará a principal competição dos últimos quatro anos. Cerca de 230 atletas representarão o Brasil na capital japonesa, sendo 150 homens e 80 mulheres, aproximadamente.

A cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 será no dia 25 de agosto e a de encerramento no dia 6 de setembro. A organização do evento estima a participação de cerca de 4.400 atletas nesta que será a maior edição de todos os tempos.

“A comunidade paralímpica comemora hoje uma data muito especial. São 200 dias para os Jogos de Tóquio. Duzentos dias para o momento mais importante nos últimos quatro anos. Teremos na capital japonesa o resultado de todo o trabalho feito nesse ciclo”, disse o presidente do CPB, Mizael Conrado.

Vinte duas modalidades compõem o programa dos Jogos e o Brasil, até então, tem vaga garantida em 14: atletismo, bocha, canoagem, ciclismo, futebol de 5, goalball (feminino e masculino), natação, parataekwondo, remo, tiro esportivo, tiro com arco, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, vôlei sentado (feminino e masculino).

Esgrima em cadeira de rodas, halterofilismo, hipismo, judô, parabadminton, rúgbi em cadeira de rodas e triatlo ainda brigam por classificação. A única modalidade confirmada que não terá representantes brasileiros é o basquete em cadeira de rodas. A última chance de classificação foi nos Jogos Parapan-Americanos de Lima.

Exceto o rúgbi em cadeira de rodas, as demais modalidades que ainda não estão classificadas o critério usado é ranking mundial. Atualmente, o Brasil possui atletas bem posicionados e o período de classificação encontra-se aberto, por este motivo as vagas ainda não estão confirmadas.

O rúgbi em cadeira de rodas disputará a última competição classificatória no início de março, no Canadá. A campeã e vice-campeã do torneio garantem as duas últimas vagas para Tóquio.

Em seu Planejamento Estratégico, o CPB estabeleceu como meta manter-se entre as dez principais potências do planeta nos Jogos Paralímpicos. O objetivo para Tóquio 2020 é ficar no top 10 no quadro geral de medalhas. Nos Jogos Rio 2016, o Brasil arrecadou 72 medalhas no total: 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze.

O parataekwondo, uma das modalidades estreantes nesta edição dos Jogos, já possui uma atleta brasileira classificada. Débora Menezes é a primeira lutadora com vaga para Tóquio. Pelo regulamento de classificação, os quatro primeiros atletas do ranking mundial até o fim de janeiro carimbavam o passaporte e Débora é a atual segunda colocada no ranking.

A aclimatação da delegação será na cidade de Hamamatsu a partir do início de agosto. O primeiro grupo chega à cidade, que é a maior no Japão com número de brasileiros residentes, no dia 4 de agosto. As modalidades que usarão a cidade para preparação são atletismo, bocha, canoagem, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, goalball, halterofilismo, judô, natação, remo, parabadminton, paratekwondo, tênis em cadeira de rodas, tênis de mesa, tiro com arco, triatlo e vôlei sentado.

Foto; Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário