Número 1 do mundo de duplas, tenista colombiano é pego em exame antidoping pondo Tóquio-2020 em risco - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Número 1 do mundo de duplas, tenista colombiano é pego em exame antidoping pondo Tóquio-2020 em risco

Compartilhe


O mundo do tênis latino-americano sofreu um grande abalo nesta terça-feira com o anúncio em sequência de testes positivos em exames anti-doping nos tenistas Roberto Farah e Nicolas Jarry.

Roberto Farah, atual campeão de duplas de Wimbldon, US Open e número 1 do mundo testou positivo para Bodenona, em um teste fora de competição no último dia 17 de outubro, em Cali. Em seu anúncio, ele alegou que a substância é comumente encontrada na carne colombina e foi provavelmente assim que a ingeriu. A ATP ou a ITF ainda não se manifestou sobre o caso, mas Farah afirmou que "estou calmo e confiante nos resultos deste processo, já que eu sempre agi de forma correta e honesta em minha vida".

Farah já conta com pontos no ranking que o classificam matematicamente para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Sua parceria com Juan Sebástian Cabal é considerada uma das favoritas para Tóquio, depois de vencer os dois últimos Grand Slams. Cabal permanece em Melbourne e deve jogar o Grand Slam com outro parceiro. No caso de uma ausência de Farah das Olimpíadas, ele ainda permanece na lista de confirmados se outro jogador colombiano estiver no top300 de simples ou de duplas.

Nicolas Jarry também é suspenso e aponta vitamina brasileira

A Federação Internacional de Tênis (ITF) suspendeu provisoriamente nesta terça-feira o tenista chileno Nicolas Jarry. Ele fez dois testes de urina durante as finais da Copa Davis, que aconteceram no dia 19 novembro do ano passado, em Madri (ESP). O laboratório de Montreal da Agência Mundial Antidoping (Wada) encontraram as Ligandrol (SARM LGD-4033) e Stanzolol.

O tenista chileno alegou que “o nível encontrado é incrivelmente baixo, o que não me daria benefício algum" e reiterou que nunca teve a intenção de usar as substâncias e ser contrário ao doping. 

"Tudo indica ser um caso de contaminação cruzada de um complexo vitamínico fabricado no Brasil, recomendado pelo meu médico, e que não deveria conter substâncias proibidas", comentou o atleta de 24 anos e atual 78º melhor do mundo no ranking individual. 

Foto: Mike Lawrence/USTA

Nenhum comentário:

Postar um comentário