Rússia acusa Grigory Rodchenkov de manipulação de dados para prejudicar o país



Excluída dos Jogos Olímpicos e de campeonatos mundiais nos próximos quatro anos pela Agência Mundial Antidoping (Wada), a Rússia iniciou um processo de reação às acusações de falsificação de dados e doping indiscriminado de atletas em diversas modalidades. Segundo a agência Associated Press, um comitê investigativo russo afirma que o país sofreu um ataque cibernético de modificação de dados por parte do principal informante, Grigory Rodchenkov.

Ex-diretor do laboratório antidoping da Rússia, Rodchenkov se refugiou nos Estados Unidos desde 2015 e tem cooperado com os principais órgãos de investigação nas denúncias contra os russos. Para o comitê do país europeu, no entanto, ele teria feito mudanças nos resultados dos testes de forma remota.

"Todas as evidências obtidas na investigação mostram que Rodchenkov e pessoas não identificadas fizeram mudanças intencionalmente na base de dados eletrônica e distorceu os parâmetros e indicadores de amostras de doping de atletas russos" afirmou a porta-voz do comitê russo, Svetlana Petrenko.

O ex-diretor Rodchenkov é uma testemunha chave da WADA no escândalo envolvendo o doping russo. Em uma rara aparição em reunião com membros do governo dos Estados Unidos, em 2018, o denunciante apareceu vestindo uma máscara e óculos escuros. Sua história foi conhecida mundialmente após o documentário Ícarus, em 2017, que revelou como funcionava o esquema de doping. Seu advogado afirma que a nova alegação russa não passa de uma "farsa".

"Rodchenkov não poderia e não entrou na base de dados LIMS (sistema de gerenciamento de amostras do laboratório). Não temos conhecimento de mais ninguém que possa ter entrado. O ponto é que tudo isso é uma farsa" disse Jim Walden à agência de notícias.

No início de dezembro, a WADA definiu que a Rússia não poderá ser representado nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e de Inverno de Pequim 2022, além de Mundiais de todas as modalidades, o que inclui a Copa do Mundo do Catar de 2022. A Rússia também não poderá organizar disputas desse nível em seu território. A Eurocopa 2020 não corre perigo de perder São Petersburgo como uma das 12 sedes, pois não está categorizada no grupo de competições restringidas.

foto: Divulgação/Helsinque comission

0 Comentários