Enquete: Vote nos melhores atletas olímpicos de 2019! - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Enquete: Vote nos melhores atletas olímpicos de 2019!

Compartilhe



O surto olímpico tem a honra de apresentar a nossa terceira edição do nosso prêmio de melhores atletas. E nela, que decide que quem foram os melhores é você, com seu voto. Nossa equipe escolheu cinco nomes em cada naipe e até o dia 1º de janeiro de 2020, todos podem votar no seu preferido entre os fnalistas

E os concorrentes são: No feminino temos Ana Marcela Cunha, Bia Ferreira,Mayra Aguiar, Nathalie Moellhausen e Pâmela Rosa; entre os homens, concorrem Arthur Nory, Darlan Romani, Hugo Calderano, Isaquias Queiroz e Ítalo Ferreira. Abaixo você encontra um pequeno resumo do ano de cada finalista, se pintar alguma dúvida em quem votar:

*****VOTAÇÃO ENCERRADA! ÀS 21:30 DO DIA 2 DE JANEIRO SERÃO ANUNCIADOS OS VENCEDORES****

FEMININO

Ana Marcela Cunha (maratona aquática)

Em 2019, Ana Marcela Cunha conquistou 10 títulos internacionais. No Circuito Mundial de Maratonas Aquáticas, acabou com o vice-campeonato mesmo vencendo cinco etapas. A baiana ainda conquistou os 5km da 1ª edição dos Jogos Mundiais de Praia e do Mundial de Esportes Aquáticos; os 10km dos Jogos Pan-americanos de Lima e dos Jogos Mundiais Militares e os 25km também no Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, assim  como a classificação para Tóquio 2020 com o 5º lugar na prova dos 10km, sem contar que Ana Marcela ainda entrou para o livro dos recordes como a atleta que mais venceu na maratona aquática na história!

Ana Marcela Cunha é uma das atletas preferidas dos nossos leitores, já que venceu o prêmio de melhor atletas em 2017 e 2018, com 100% de aproveitamento. Será que ela leva o tri?

Beatriz Ferreira (Boxe)

A pugilista teve um 2019 impecável, chegando à impressionante marca de 24 pódios em 25 competições disputadas. O auge foi o ouro no Campeonato Mundial da AIBA, em Ulan-Ude, Rússia, na categoria até 60kg, o segundo ouro do Brasil em Mundiais femininos e a quarta medalha do país em competições desse nível. Bia também fez história ao conquistar o primeiro ouro no boxe feminino em Jogos Pan-americanos em Lima. Ainda em 2019, Bia esteve no pódio em outras quatro competições, além do Mundial e dos Jogos Pan-americanos. Essa é a sua primeira indicação ao prêmio do Surto olímpico

Mayra Aguiar (judô)

Das dez competições que disputou em 2019, a judoca gaúcha só ficou de fora do pódio em três. Na principal competição do ano, o Campeonato Mundial do Japão, disputado no mesmo palco dos Jogos Olímpicos, manteve a impressionante regularidade e conquistou o bronze. Foi a sexta medalha dela em Mundiais. Ainda em 2019, Mayra foi campeã dos Jogos Pan-americanos Lima 2019, do Grand Slam de Dusseldorf (Alemanha), do Campeonato Pan-americano e do Grand Prix de Budapeste. Essa é a segunda indicação de Mayra, que concorreu ao prêmio do Surto Olímpico em 2017


Nathalie Moellhausen (esgrima)

Aos 33 anos, Nathalie Moellhausen entrou para a história da esgrima e do esporte brasileiro ao conquistar o ouro na espada no Campeonato Mundial de Budapeste, na Hungria, numa campanha irretocável com 12 vitórias em 12 combates. Foi a primeira medalha do Brasil em um Mundial da modalidade. Com o título, Nathalie chegou ao quarto lugar no ranking mundial e praticamente garantiu sua vaga nos Jogos Olímpicos de 2020, ainda que a corrida olímpica termine em abril. Nos Jogos Pan-americanos de Lima, conquistou o bronze na espada individual, repetindo o feito de Toronto 2015. Essa é sua primeira indicação no prêmio.

Pâmela Rosa (skate)

A paulista de 20 anos brilho no skate street se sagrando campeã mundial pela primeira vez na carreira e garantindo bons pontos no ranking olímpico que definirá as classificadas para Tóquio. Pamela ainda venceu as etapas do Stu Open do Rio de Janeiro, a etapa da street league skateboard de Londres e vice na etapa de Los Angeles.

Foram citadas pela equipe do surto olímpico: Ana Sátila (Canoagem Slalom), Flávia Saraiva (Ginástica Artística), Martine Grael/Kahena Kunze (Vela) e Rayssa 'Fadinha' Leal (Skate)


Masculino

Arthur Nory (Ginástica Artística)

O ginasta de 26 anos teve muitos motivos para comemorar em 2019. Medalhista de bronze no solo nos Jogos Rio 2016, Nory conquistou a primeira medalha dele em Mundiais em Stuttgart, conseguindo um 14,900 para faturar o ouro na barra fixa. No mesmo aparelho, foi prata nos Jogos Pan-americanos de Lima, atrás apenas do compatriota Francisco Barretto. No Pan também conquistou a prata no individual geral e o ouro por equipes.

Darlan Romani (atletismo)

Indicado em 2018, Darlan continuou o seu ótimo momento e mais uma vez recebe uma indicação. Em 2019 o catarinense de 28 anos fez a melhor marca da vida com 22,61m novo recorde sul-americano e décima melhor marca da história. Darlan ainda foi campeão pan-americano e no mundial bateu na trave na quarta posição em uma prova com o nível mais alto da história , se tornando o primeiro atleta a fazer mais de 22 metros no arremesso de peso de não conseguir medalha. Darlan ainda encerrou o ano com o ouro no mundial militar na China.

Hugo Calderano (tênis de mesa)

O mesatenista cumpriu seu principal objetivo na temporada: a conquista da vaga olímpica para Tóquio 2020, após se sagrar bicampeão individual dos Jogos Pan-americanos, em Lima. Meses depois, novamente na capital peruana, foi a vez de ajudar a equipe brasileira se classificar para os Jogos Olímpicos. Além disso, conquistou a medalha de bronze no Aberto da República Tcheca, válido pelo Circuito Mundial. Atual número 6 do mundo, Calderano é o melhor atleta não asiático do ranking da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF).

Isaquias Queiroz (Canoagem Sprint)

Eleito o melhor atleta pelos leitores do Surto Olímpico em 2018, o baiano Isaquias Queiroz manteve o alto nível em 2019. Na principal competição do ano, em Szeged, na Hungria, conquistou o ouro no C1 1000m e o bronze no C2 1000 metros, ao lado de Erlon Silva, ambas provas olímpicas, chegando a 12 medalhas em mundiais. Nos Jogos Pan-americanos Lima 2019 conquistou o ouro no C1 1000m, chegando à quarta medalha na competição.

Ítalo Ferreira (surfe)

O surfista potiguar viveu um dos momentos mais especiais da carreira no último mês de setembro ao vencer o Mundial da ISA, em Miyazaki (Japão). Após ter o passaporte furtado, Ítalo ainda precisou disputar a primeira bateria com uma bermuda jeans e uma prancha emprestada. Líder do Circuito Mundial de Surfe (WSL) até a última etapa, em Pipeline (Havaí), Ítalo foi campeão das etapas de Gold Coast (Austrália) e Peniche (Portugal) e até o momento dessa postagem continua na briga pelo título




Foram citados pela equipe do Surto olímpico: Alison dos Santos (Atletismo), Francisco Barretto (Ginástica Artística), Leal e Alan (Vôlei), Luizinho Francisco (Skate), Fernando Reis (Levantamento de peso) e Bruno Fratus (Natação)

Quem votou: Bruno Guedes, Bruno Vieira, Daniel Barbosa, Marcos Antônio, Mateus Nagime, Regys Silva e Wesley Félix

Nenhum comentário:

Postar um comentário