Com seis vagas em Tóquio em disputa, começam os Pré-Olímpicos Mundiais de Vôlei feminino


Nos próximos quatro dias, 24 equipes femininas de vôlei entram na disputa por seis vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. De quinta-feira à domingo, divididas em seis grupos de quatro, o Pré-Olímpico se espalha pelo mundo. As classificadas se juntarão ao Japão, país anfitrião do Jogos, com vaga assegurada. As cinco vagas restantes serão decididas nos Torneios Continentais, em janeiro de 2020. 

O Brasil joga na quinta-feira em Uberlândia contra Camarões, às 14h15, pega o Azerbaijão na sexta, e República Dominicana no sábado.

“Essa é a primeira grande oportunidade para que as seleções femininas garantam uma vaga em Tóquio 2020. Vamos ter grandes jogos e a emoção estará presente em todos os grupos espalhados pelo mundo. Quero ver um vôlei de alto nível e desejar boa sorte a todas as jogadores e equipes que lutam pelo sonho olímpico”, disse Ary Graça, presidente da Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

A China, atual campeã olímpica, jogará em casa, liderada por Zhu Ting, eleita a MVP (most valuable player) nos Jogos Olímpicos do Rio, pelo Grupo B, ao lado de Turquia, Alemanha e República Tcheca. A Sérvia, da superestrela Tijana Boskovic e medalha de prata nos últimos Jogos, também brigará pela vaga no próprio país, contra Porto Rico, Tailândia e Polônia, pelo Grupo A. 

O Grupo C parece, na teoria, o mais simples de todos. As norte-americanas, que acabaram de conquistar a Liga das Nações de Vôlei, recebem na Louisiana a Argentina, Bulgária e o Cazaquistão. 

A missão da Rússia não é das mais complicadas. Joga em casa, em Kaliningrado, com a volta de Nataliya Goncharova, e enfrenta Coreia do Sul, Canadá e México, pelo Grupo E. No Grupo F estão reunidas Holanda, Itália, Bélgica e Quênia, que disputam a vaga na cidade italiana de Catania. 

Os torneios femininos classificatórios: 

Grupo A (Wroclaw): Sérvia, Porto Rico, Tailândia, Polônia. 
Grupo B (Ningbo): China, Turquia, Alemanha, República Tcheca. 
Grupo C (Shreveport): EUA, Argentina, Bulgária, Cazaquistão. 
Grupo D (Uberlândia): Brasil, República Dominicana, Camarões, Azerbaijão. 
Grupo E (Kaliningrado): Rússia, Coréia do Sul, Canadá, México. 
Grupo F (Catania): Holanda, Itália, Bélgica, Quênia

Foto: Divulgação
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top