Fifa rejeita sugestões e mantém limite de três jogadores acima de 23 anos para Tóquio 2020 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Fifa rejeita sugestões e mantém limite de três jogadores acima de 23 anos para Tóquio 2020

Compartilhe
A Fifa decidiu manter para os jogos olímpicos de Tóquio o mesmo limite de jogadores acima de 23 anos para o torneio de futebol masculino. Em um relatório organizado pelo técnico brasileiro Carlos Alberto Parreira e o nigeriano Sunday Oliseh , ouro em Atlanta-96,e pedido pela própria Fifa foi sugerido que o número de jogadores fosse aumentado de 18 para 20 jogadores e que mais um jogador acima dos 23 anos pudesse ser convocado, o que foi rejeitado pela entidade, segundo informações do blog do Marcel Rizzo.

A fifa enviou às confederações no dia 15 de dezembro um documento com os detalhes técnicos da competição, que será disputada entre os dias 24 de julho e 9 de agosto de 2020. A principal justificativa para a manutenção do limite de jogadores é Com relação as datas, pois o calendário olímpico é curto e não será modificado principalmente por uma campanha de corte de custos nos Jogos, incentivada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional). 

Já aumentar o número de veteranos esbarra, por sua vez, na disposição dos clubes em liberarem seus principais atletas. A Olimpíada não faz parte do calendário Fifa, portanto os times não são obrigados a ceder seus jogadores às seleções.


A Fifa ainda analisa aumentar para 20 o número de inscritos, mas mantendo apenas três acima dos 23 anos. Isso será discutido em novas reuniões e será definido ainda em 2018. O formato da competição foi mantido em 16 seleções para os homens (12 para as mulheres), e duas seleções da América do Sul se classificarão para a competição masculina. A Fifa acabou com a repescagem em seu classificatório para a Olimpíada e as vagas da Conmebol devem ser definidas via Sul-Americano sub-20, em janeiro de 2019, no Chile.

O Brasil é o atual campeão olímpico, batendo na final a Alemanha na decisão da Rio-2016, no Maracanã.


Foto: Getty Images
Com informações do blog de Marcel Rizzo

Nenhum comentário:

Postar um comentário