Mundial de Judô 2017 - Dia 1 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Mundial de Judô 2017 - Dia 1

Compartilhe
Teve início nesta segunda-feira (28), em Budapeste (HUN), o Campeonato Mundial de judô. A modalidade que tem conquistado importantes resultados para o Brasil não trouxe medalhas no primeiro dia, mas, foi muito bem representada na estréia da competição por três jovens judocas que não estiveram no Rio em 2016 e que mostram a renovação de atletas no país.


Apesar de não chegarem as quartas de final, consequentemente a fase que se iniciam as disputas por medalhas, Stefannie Koyama (-48kg) e Phelipe Pelim e Eric Takabatake (ambos da -60kg) tiveram azar no sorteio e enfrentaram de igual pra igual atletas mais fortes e experientes no torneio.

Com um português arrastado e muita simpatia,Stefannie Koyama, japonesa e filha de brasileiros, representou o Brasil pela primeira vez em um campeonato mundial e mesmo saindo sem uma medalha provou que pode ser uma das grandes esperanças do Brasil em Tóquio 2020. Aos 21 anos começou o torneio vencendo por wazari a romena Monica Ungureanu, bronze no forte campeonato europeu, na categoria -48kg. A segunda rodada foi contra a japonesa Funa Tonaki, colega de faculdade de Koyama na capital japonesa, em que a brasileira começou bem com um wazari e sofreu o empate logo em seguida. No golden score, derrota da brasileira para a atleta que viria a se tornar campeã mundial algumas horas mais tarde. É bom citar que a única judoca a pontuar contra a japonesa em todo o torneio foi a brasileira. O pódio foi completado por três atletas consagradas da categoria. Estreante, Funa Tonaki honrou a tradição japonesa quase imbatível nas categorias mais leves e venceu a mongol Monkbatyn Uraantsetseg, campeã mundial no Rio em 2013, por um wazari.

Os bronzes ficaram com duas atletas que repetiram a mesma medalha conquistada nos Jogos do Rio, a japonesa Ami Kondo e a cazaque Galbadrakhyn Otgontsetseg. Ao contrário dos Jogos Olímpicos, no mundial cada país pode levar dois atletas em duas categorias e o Japão acertadamente escolheu dentre elas a ligeiro feminina. Ami Kondo, campeã mundial em 2014, conquistou mais uma medalha importante na carreira ao vencer a sérvia Milina Nikolic por ippon. Na outra chave, vitória de Otgontsetseg sobre a russa Irina Dolgova por wazari.

Já pela categoria masculina, a -60kg, Pelim e Takabatake também foram eliminados, mas demonstraram que a briga pela vaga brasileira para Tóquio, que ainda tem o medalhista olímpico Felipe Kitadai, será enorme entre os talentosos atletas. Infelizmente, assim como Koyama, o sorteio não ajudou. Pelim começou o torneio enfrentando e vencendo por imobilização o russo Robert Mishdobadze, atual campeão europeu, demonstrando muita autoridade. Em seguida, outra boa luta e vitória com quatro wazaris sobre o dominicano Elmert Ramirez. A terceira luta foi mais difícil. Já pelas oitavas de final, Pelim enfrentou e foi derrotado por ippon pelo uzbeque Mukridhin Tilovov, terceiro colocado no campeaonato asiático e um dos favoritos da categoria, terminando seu primeiro campeonato mundial, mas demonstrando um ótimo judô. Quem também lutou muito bem mas não deu sorte no sorteio das chaves foi Eric Takabatake. O brasileiro lutou de cara pela segunda rodada contra o cazaque Yeldos Smetov, simplesmente o então campeão mundial e vice olímpico da categoria. O brasileiro fez uma excelente luta, se movimentando mais e deixando o cazaque com duas punições no tempo normal. No Golden Score o cazaque usou sua experiência e projetou Eric, jogando ele de wazari e vencendo a luta. Smetov perdeu na rodada de quartas de final para Orkhan Safarov, do Azerbaijão e não defendeu o título mundial.


O Japão, sede dos próximos Jogos Olímpicos, terá com certeza no judô um de seus grandes captores de medalhas em casa. O outro ouro do dia também foi para os nipônicos. Naohisa Takato, bronze nos Jogos do Rio e campeão mundial também na cidade carioca em 2013, venceu a final da categoria justamente contra o azeri Safarov, não dando chances pro adversário marcando um wazari e um ippon. Os bronzes foram o mongol Ganbatyn Golbaatar que venceu por ippon o tcheco Pavel Petrikov . A outra disputa foi entre dois atletas do Uzbequistão. Dyorbek Urozboev, bronze olímpico no Rio, venceu o compatriota e algoz de Phelipe Pelim, Mukridhin Tilovov por um wazari.

Na terça-feira (29) o Brasil contará com as estreias de Erika Miranda e Sarah Menezes (-52kg) e Charles Chibana (-66kg) nos tatames húngaros. Erika iniciará a luta por sua quarta medalha já na segunda rodada contra a vencedora do confronto entre a moçambicana Jacira Ferreira e a australiana Tinka Easton. Já Sarah, campeã olímpica pela -48kg em Londres 2012, fará seu primeiro mundial pela nova categoria, lutando na primeira rodada contra a alemã Nieke Nordmeyer. Charles Chibana irá em busca de um inédito pódio para sua carreira, enfrentando o cazaque Azamat Mukanov, vice campeão mundial no Rio em 2013.

Fotos: Divulgação


Nenhum comentário:

Postar um comentário