Últimas Notícias

Recordista de medalhas, Michael Phelps quer levar familia para os Jogos de 2016


Dono de 22 medalhas em Jogos Olímpicos – 18 medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze – o nadador norte-americano Michael Phelps, maior medalhistas olímpico de todos os tempos, participou, na terça-feira (8.3), da conferência de imprensa da equipe olímpica dos Estados Unidos. Ele afirmou estar bastante motivado para disputar os Jogos Olímpicos de 2016 e adiantou que pretende trazer a família ao Brasil para acompanhar seu desempenho nas piscinas do Estádio Aquático Olímpico. Phelps deu várias entrevistas nos últimos dias e falou sobre vários assuntos.

A noiva de Michael Phelps, Nicole Johnson, deve dar à luz em maio, três meses antes das Olimpíadas no Rio. O nadador disse que quer tê-la a seu lado durante a competição e que não vê problemas na viagem. “Não estamos preocupados com isso. Se você vai a qualquer edição dos Jogos Olímpicos sempre surge alguma coisa”, disse Phelps, em matéria publicada no jornal Washington Post. “Se ela estivesse grávida, certamente não iria. Mas ela está a fim e não vai perder (os Jogos). E eu também não quero que o menino perca. Ele não vai se lembrar de nada, mas terá uma história para contar”, explicou.

Phelps garante que está mentalmente e fisicamente muito bem. “Agora, para esses Jogos, estou feliz novamente. De um jeito que não ficava desde o período entre 2007 e 2009, que foi o melhor de minha carreira, com o Mundial de 2007 e os Jogos de Pequim. É um sentimento excelente, de quando eu estava no meu melhor”, avisou ao jornal Folha de S. Paulo. O percentual de gordura no corpo do atleta, que era de 13% nos Jogos Londres 2012, é hoje de 5%. E a alimentação está recebendo atenção especial. “Agora penso no meu corpo como um carro. Quanto melhor a gasolina, melhor o desempenho”, comparou.

Depois dos Jogos de Londres 2012, Michael Phelps foi detido por dirigir sob influência de álcool e, afastado das competições, enfrentou uma depressão. Hoje, ele garante que tudo está superado. “Em 2012, não tinha mais nada a ver com o esporte. Realmente não sei o que queria fazer naquele momento, mas eu estava acabado. Não queria treinar mais”, lembrou, durante a conferência da equipe olímpica norte-americana, em Los Angeles. Agora, mais maduro, o nadador se disse capaz de aceitar até um resultado decepcionante nos Jogos Rio 2016. “Se eu não ganhar nenhuma medalha e tiver feito tudo que podia para me preparar vou ficar feliz”, afirmou.

O mais campeão olímpico de todos os tempos também comentou sobre o apoio familiar que mudou sua maneira de encarar a vida nos últimos tempos. “Eu mantenho as pessoas importantes mais perto de mim do que nunca”, disse ele, ao site da ESPN americano. “Eu atendo ao telefone quando alguém chama. Eu costumava me esquivar de atender telefonemas”, completou. Apesar de falar abertamente sobre todos os assuntos, Phelps mantém um mistério: a única coisa que ele não revela é qual será o nome de seu filho.

Foto: Getty Images

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar