Últimas Notícias

Mundial de Ciclismo de Pista 2016 - Dia 3


A sexta-feira em Londres teve apenas uma disputa por medalhas em provas olímpicas. Foi na perseguição por equipes feminina, vencida pelos Estados Unidos.

A equipe norte-americana, formada por Sarah Hammer, Kelly Catlin, Chloe Dygert e Jennifer Valente, foi a melhor disparada em todas as baterias que correu. Na segunda rodada, por exemplo, o tempo de 4:14.806 foi quase dez segundos mais rápido que o melhor tempo dos Estados Unidos no Mundial de 2015.

Assim, caminho livre para as norte-americanas passarem pelas surpresas canadenses na decisão do ouro. O bronze ficou com a Grã Bretanha, comandada por Laura Trott, que venceu a Nova Zelândia na decisão do terceiro lugar. 

A decepção foi a Austrália, que terminou na quinta posição ao não obter bons tempos nem na qualificatória nem na segunda rodada.

No Omnium masculino o brasileiro Gideoni Monteiro fechou o dia na 16ª posição. Ele foi 17º lugar no scratch e 18º na perseguição. Na corrida de eliminação ele tomou um susto ao sofrer uma queda, provocada pelo holandês Tim Veldt. No entanto, Gideoni se recuperou e alcançou a nona posição.

O italiano Elia Viviani lidera o omnium com 104 pontos, seguido pelo colombiano Fernando Gaviria, que tem 102. A decisão das medalhas ocorre no sábado.

No sábado também ocorrem as finais do sprint individual masculino.

Medalhistas do dia (provas olímpicas):

Perseguição por equipes feminina
Ouro:  Estados Unidos
Prata:  Canadá
Bronze:  Grã Bretanha

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar