AIBA pode liberar boxeadores profissionais para os Jogos Olímpicos


A Associação Internacional de Boxe (AIBA) revelou nesta quarta-feira o desejo de liberar a participação de profissionais nos Jogos Olímpicos. Segundo o presidente da entidade, Ching-Kuo Wu, a proposta poderia ser oficializada ainda a tempo das Olimpíadas do Rio 2016.

Em declaração para a Associação de Imprensa da Grã Bretanha, Wu falou que era "absolutamente possível" as mudanças serem realizas antes dos Jogos do Rio. O que dificultaria a participação dos profissionais já em 2016 seria o processo de qualificação, que está em andamento e já distribuiu grande parte das vagas olímpicas.

O diretor-executivo do Boxe dos Estados Unidos, Mike Martino, descartou a ideia de colocar profissionais nos Jogos de 2016 em entrevista à Associated Press. "Eu acho que vai acontecer este ano? Não", afirmou Martino. "Em termos práticos, estamos olhando para 2020".

Martino ainda disse que seria difícil ver grandes estrelas do boxe profissional nos Jogos Olímpicos. O cenário mais realista consiste em boxeadores de um nível mais baixo, que não alcançaram os seus objetivos no profissionalismo.

A ideia da AIBA foi exposta para as confederações nacionais, que teriam autonomia para realizar as mudanças necessárias para os Jogos do Rio. 

A proposta é mais uma da gestão de Wu na AIBA, marcada por tentar uma maior autonomia nos mais diversos níveis do boxe. No atual ciclo a palavra "amador" foi descartada para o boxe olímpico, enquanto capacetes também foram abolidos para os homens no esporte.

"Quando assumi a presidência, em 2006, deixei claro que o termo amador não é relevante, porque se você olhar, agora, para todos os esportes olímpicos, qual é realmente amador?", concluiu Wu para a Associação de Imprensa da Grã Bretanha.

Desde 2013 os boxeadores com menos de 15 lutas pagas já são aceitos no boxe olímpico, mediante contrato com a APB, que funciona como uma espécie de extensão da AIBA no boxe profissional.

0 Comentários