Seleção de base do Brasil no Tênis de Mesa aprova treinamentos no Centro Olímpico da China


O início do período de treinamentos dos Diamantes do Futuro em Chengdu, na China, não poderia ter sido mais proveitoso. Após cerimônia de abertura do programa de intercâmbio, os 16 atletas de 10 a 14 anos já tiveram dois dias de trabalho na sede da seleção chinesa, onde passarão um mês em aprimoramento técnico e tático. Felizes com o acolhimento, os brasileiros ficaram impressionados com o alto padrão desde a recepção.

A cerimônia de abertura contou com um ato cívico, com execução dos hinos brasileiro e chinês, e o discurso de autoridades, que, em seguida, almoçaram na companhia das delegações. No mesmo dia, as comissões técnicas de ambas as seleções definiram juntas a programação de treinos, iniciada à tarde após breve descanso. O treinador brasileiro Andrews Martins mostrou-se completamente satisfeito com a estrutura e o nível do treinamento oferecido no Centro Olímpico da China.

“Há 16 sparrings, com jogadores bons e de diferentes estilos. Um atleta brasileiro sempre é colocado com um atleta chinês. Temos centenas de bolas disponíveis por mesa, além de uma comissão técnica chinesa trabalhando em parceria conosco. O treino foi excelente e atingiu todas as nossas expectativas para o tão sonhado intercâmbio”, afirmou Andrews.

A colaboração sino-brasileira no esporte tem rendido bons frutos aos mesatenistas. Se o período no Centro Olímpico foi viabilizado em acordo entre os governos dos dois países, os treinos também estão sendo desenvolvidos com o melhor da preparação de cada um. O cronograma planejado em conjunto inclui, além das atividades técnicas na mesa, o trabalho de pernas, o lançamento de bola e o treino físico pensados especialmente para os jovens atletas.

Quatro entre os 16 membros dos Diamantes do Futuro que foram à Chengdu já estiveram na China este ano. Em janeiro, Diogo Silva, Eduardo Tomoike, Gustavo Gerstmann e Rafael Torino passaram 20 dias no Shandong Luneng, clube pertencente à estatal chinesa State Grid, parceira da CBTM. Jorge Fanck, membro do programa Fast Track de formação de treinadores de alto nível, também já esteve em intercâmbio no país, em dezembro do ano passado.

Campeão latino-americano com a equipe mirim masculina, Fanck é outro a coordenar os atletas em solo asiático, juntamente ao português Ricardo Faria, consultor internacional da Confederação, e Emerson Jerônimo, presidente da federação paranaense. Em nome de toda a comissão, Martins ressaltou a relevância da aquisição de experiência não somente para as promessas brasileiras, mas também para os treinadores que os acompanham.

“Temos certeza que este período na China vai melhorar muito a visão de jogo, o grau de empenho e a qualidade de nossa equipe, além de agregar mais conhecimento aos treinadores que aqui estão”, concluiu.

Ftoto: Divulgação

0 Comentários