Na preparação para o Rio 2016, policiais aprendem novos idiomas


Francês, coreano, italiano, árabe e russo, além de espanhol e inglês, são alguns dos idiomas que podem ser ouvidos no Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), em Copacabana, no Rio de Janeiro. A unidade, que conta com 196 policiais, intensifica a preparação para os Jogos Olímpicos de 2016 e busca qualificar ainda mais os profissionais na proficiência em outras línguas.

A vivência durante um ano em Paris permitiu que o segundo-tenente Yan Tarik, de 29 anos, cinco deles na PM, obtivesse fluência na língua francesa. Mas foi o interesse pessoal que o levou a começar um curso de russo, há cerca de três meses.

“Já falava inglês e francês, mas queria aprender russo. Achava a língua diferente e comecei as aulas particulares. Os turistas ficam surpresos quando me comunico no idioma. Muitos deles vêm para o Rio de Janeiro sem nem falar inglês e, por isso, é importante essa diversificação. Além das ocorrências, frequentemente ajudamos o visitante com informações, somos um pouco psicólogos também”, disse o policial.

Filho de pai líbio, o soldado Adman Barcelos, também de 29 anos, está cursando árabe. Na infância, morou no Líbano e, há um ano e meio, despertou para o interesse em estudar o idioma.

“Já no BPTur, trabalhei no Aeroporto do Galeão e, lá, tive algumas experiências com a língua. Atendi um casal de marroquinos que tinha perdido os documentos e não falava nada além de árabe. Nas duas situações, percebi que foi importante para os turistas ter um policial que pôde ajudá-los em sua língua nativa”, afirmou Adman.

Segundo maior público entre os turistas europeus que desembarcam no Rio de Janeiro, os italianos têm no BPTur representantes que podem se comunicar na língua materna deles. Um exemplo é o tenente Marcus Machado Gomes.

“Uma vez, policiando uma trilha, ajudei um grupo de italianos que discutiam com a guia porque não queriam mais fazer o percurso. Só que ela não falava italiano e não conseguia entendê-los. Intervi na situação e consegui ajudá-los a resolver o imbróglio e a serem ressarcidos”, contou Marcus, que faz aulas de italiano e também domina o inglês.

Segurança e auxílio

O atendimento a ocorrências relacionadas a turistas é apenas uma das frentes de trabalho do BPTur. Auxiliar os visitantes com informações e atuar no patrulhamento das áreas cobertas pela unidade também são funções do batalhão.

Segundo o comandante da unidade, tenente-coronel Mauro Fliess, parte dos policiais que atuam na unidade participou do Curso de Policiamento em Áreas Turísticas, que ocorre em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) e que oferece, entre outras disciplinas, noções de inglês ou espanhol.

“Já estivemos em três edições e queremos dar continuidade a isso. A PM também tem uma parceria com um banco para ensino desses dois idiomas e convênios com consulados”, disse Fliess.

Foto: Mauricio Pingo

0 Comentários