Rio de Janeiro recebe etapa do Circuito Mundial de Triatlo paralímpico, Evento Teste dos Jogos de 2016 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Rio de Janeiro recebe etapa do Circuito Mundial de Triatlo paralímpico, Evento Teste dos Jogos de 2016

Compartilhe

O Rio de Janeiro receberá no sábado (01/08) a etapa do Circuito Mundial Triatlo, que também será evento-teste para os Jogos Paralímpicos do Rio-2016. Estarão na disputa cerca de 60 atletas de 15 países. Os competidores ainda terão a oportunidade de conseguir pontos para o ranking mundial, a principal ferramenta de classificação para a competição do ano que vem.

“Serão 60 atletas nos Jogos, considerando todas as classes funcionais paralímpicas. Seis vagas – três no feminino e três no masculino – serão distribuídas na grande final do Circuito Mundial, em Chicago, em setembro. O Brasil tem direito a uma vaga em cada gênero por ser sede. As outras serão definidas pelo ranking de junho de 2016. O campeão do evento-teste junta 350 pontos nessa corrida”, explicou o coordenador da modalidade Rivaldo Martins, da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri).

Objetivando os pontos necessários para garantir vaga nos Jogos, o triatleta brasileiro Marcelo Collet, de 34 anos, se sente muito bem ao ser anfitrião na competição. “Já tive noção do que é disputar uma competição em casa quando participei do Parapan do Rio, na natação, e foi de arrepiar! O (Parque Aquático) Maria Lenk lotado, a torcida gritando meu nome, gritando ´Vai, Brasil!´. Estou na maior expectativa, ainda mais que o triatlo vai ser em Copacabana, onde já nadei muitas vezes e fui tricampeão da Travessia dos Fortes. Estou confiante de que vou conseguir a vaga”, disse Collet.


Percurso e classes
O percurso é composto por 750 metros de natação, 20 quilômetros de ciclismo e outros cinco quilômetros de corrida. Assim como no triatlo convencional, o tempo gasto nas transições conta no tempo total de prova, e vence quem terminar mais rápido.


Atualmente a modalidade é dividida em cinco classes, definidas pela União Internacional de Triathlon (ITU, sigla da entidade em inglês), tanto no feminino quanto no masculino: PT 1 a PT 5. Elas englobam diversos tipos de deficiência, desde cadeirantes (PT 1), atletas com deficiência nos membros (PT 2 até a PT 4), até deficientes visuais (PT 5).

Os atletas podem utilizar equipamentos adaptados à locomoção. Cadeirantes, por exemplo, podem usar a handbike para o ciclismo e realizar a corrida em uma cadeira de rodas.

As classes para o Rio 2016, entretanto, são apenas três por gênero: PT 1, PT2 e PT4 para os homens, e PT2, PT4 e PT5 para as mulheres.

Foto: CBTri/Paula Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário