Mesatenista Caroline Kumahara vibra com pódio brasileiro em Cuba: ‘Dá confiança para o Pan’


Jogar bem, levar o ouro após positivas experiências em algumas das principais potências do tênis de mesa mundial e ainda ver as companheiras de seleção completando o pódio. Estes são os motivos que fizeram a conquista da Copa Latino-Americana de Tênis de Mesa, em Cuba, ser tão especial para Caroline Kumahara – e dar confiança para o grande objetivo da temporada, a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho, no Canadá.

“Foi um grande resultado, tanto individualmente como pensando na seleção. As três juntas (Carol, Lin Gui e Ligia Silva) formarão a equipe no Pan e ocupamos todo o pódio em Havana. Todas ganharam jogos importantes e difíceis. Foi bom para ganhar confiança”, disse a tricampeã, que já havia levado os títulos em 2012 e 2014.

Antes de embarcar para Cuba, Carol (146ª colocada do raning mundial) havia passado por experiências de treinamento na Coreia do Sul, às vésperas do Mundial, e na China, logo na sequência. No segundo período de atividades, teve a companhia do técnico da seleção e de São Caetano/Seest/Xiom (SP) Francisco Arado, o Paco.

“Não pude aproveitar 100% na Coreia porque me senti mal alguns dias, mas, na China, ainda mais que o Paco estava lá, foi muito bom. Foram duas semanas bem intensas, com atletas muito fortes. Isso me deu muito ritmo e confiança para jogar em Cuba”, contou.

Apesar do ótimo desempenho em Havana, Carol avalia que não começou bem a competição – e foi um fator externo que não a permitiu colocar tudo o que poderia à mesa. “No primeiro dia, não senti que joguei muito bem. Na estreia, o ar condicionado estava ligado e, como jogo a bola muito alta para sacar, me senti incomodada. A bola estava flutuando muito. Depois, desligaram o ar e ficou tudo bem, mas é um fator que faz muita diferença. É fácil perder a precisão”, explicou.

Carol destacou duas partidas na sua vitoriosa campanha: o 4 a 3 sobre a colombiana Paula Medina (193ª), ainda na fase de grupos, e o 4 a 2 diante da porto-riquenha Adriana Díaz (165ª), nas quartas de final. Em ambas, a brasileira saiu atrás no placar, mas demonstrou força para virar os jogos.  “Contra a Medina, lutei muito, mas achei que não fui tão bem. Também foi importante dar a volta por cima contra a Adriana, que é um jogo ruim para mim. Pela forma como ela estava jogando, saí em desvantagem não só no placar, mas nos pontos também. Estava incomodada. Comecei bem, mas ela estava melhor ainda. Virar dessa forma me deu muita confiança”, comemorou, valorizando a experiência na reta final da preparação para o Pan.

“Tive jogos duros, mas consegui ganhar. Vou jogar com a maioria delas lá no Pan. Foi ótimo superar momentos difíceis, ter conseguido virar jogos”, emendou. Nos dois últimos confrontos em Cuba, Carol teve pela frente companheiras de seleção. Na semi, eliminou Ligia Silva (161ª) por 4 a 1. O título foi conquistado com vitória em sets diretos sobre Lin Gui (130ª) na decisão. A menos de 40 dias do Pan, a paulista de 19 anos já definiu o caminho para manter o alto nível até o evento no Canadá, que será classificatório para os Jogos Olímpicos Rio 2016. “Preciso seguir trabalhando forte, sem diminuir o ritmo, por mais que esteja perto da competição. E teremos dois treinos em grupo, com todos da seleção. Será muito importante para ter essa preparação com muita concentração e foco no Pan”, concluiu.

Com o título da Copa Latino-Americana, Carol garantiu vaga na Copa do Mundo individual, que será disputada de 30 de outubro a 1º de novembro, em Sendai, no Japão.


Foto: CBTM

0 Comentários